Avanços da Inteligência Artificial geram questões sobre mercado de trabalho

Foto: Markus Spiske/ Pexels

A Inteligência Artificial (IA) está cada vez mais sendo implementada e, apesar de existirem vozes a favor e contra suas aplicações, a verdade é que essa tecnologia já faz parte de nossas vidas. Estudiosos do IA falam sobre seus usos e sobre a potencial superação do humano. Confira essa matéria.

Nos dias de hoje sabemos que a Inteligência Artificial não é mais coisa futurista ou de filmes de ficção científica. Hoje a IA é bem real e faz parte do cotidiano, melhorando a experiência de jogo no seu cassino online, permitindo o cálculo da melhor rota em seu GPS e até permitindo melhores diagnósticos e tratamentos na medicina.
Os usos da IA são cada vez mais diversificados e sua utilização está se tornando mais regular, à medida que os pesquisadores mundiais vão fazendo novas descobertas e adaptando seus usos a mais e mais setores.
O avanço das tecnologias de IA tem sido valorizado em todo o mundo. Ao redor do globo, um olhar otimista permite imaginar que a ferramenta venha a auxiliar na resolução de problemas bem intensos da atualidade, incluindo o aquecimento global ou a fome em alguns países do mundo.
Apesar de todo o positivismo em torno dessa matéria, a verdade é que a evolução das tecnologias de IA também levanta várias questões éticas e que não é incomum que surjam preocupações, principalmente quanto ao potencial desse tipo de tecnologia para substituir o humano em variadas tarefas e o impacto dessa substituição na economia familiar e no mercado de trabalho global.
Pesquisadores vêm, então, discutindo as questões do avanço da IA e seu potencial positivo e nocivo no futuro social.
Venha saber mais sobre a questão dos usos do IA e o futuro dos mercados de trabalho.

 

IA: seu imenso potencial para apoiar o humano

A discussão e o temor em torno da tecnologia de IA não é novo. Um dos maiores estudiosos dessa matéria, o norte-americano Raymond Kurzweil, tem avaliado o potencial da tecnologia no futuro há vários anos.
O futurólogo americano afirmou já nos anos 80 que a introdução da IA iria alterar todas as dinâmicas, modificando a forma como o homem entende a máquina e gerando o potencial para que a máquina supere o ser humano no desempenho de várias tarefas.
Essa alegação seria, mais tarde, comprovada quando o campeão internacional de xadrez foi vencido por Deep Blue, um computador da IBM.
Segundo os pesquisadores, o grande potencial da IA reside no fato de conseguir acompanhar e analisar estatisticamente algumas subtilezas que facilmente escapam ao humano, o que faria com que, além de conseguir acompanhar o entendimento das pessoas no que respeita à lógica da linguagem, as máquinas poderiam ter uma análise mais correta e abrangente.

As questões do trabalho, a ética e a IA

O maior medo em torno dessa forma de tecnologia continua a ser a forma como, demonstrando maior eficácia e eficiência para a concretização de inúmeros trabalhos, as máquinas poderiam tornar o papel do humano no mercado de trabalho obsoleto.
Ainda que as questões éticas em torno da questão persistam, no entanto, vários pesquisadores indicam que sempre será necessário o humano para orientar os processos, já que as máquinas carecem da inteligência emocional do humano.
O futuro dos mercados de trabalho perante a introdução da IA, ainda assim, permanece uma incógnita, se sabendo somente que esta introdução mudará, com certeza, toda a dinâmica social.