A maioria dos sírios vive na pobreza enquanto EUA e UE impõem sanções ao país, diz diplomata russo

© Sputnik / Mikhail Alaeddin

Os Estados Unidos e a União Europeia (UE) impõem sanções unilaterais contra a Síria, enquanto a esmagadora maioria de seus habitantes vive abaixo da linha da pobreza.

É o que afirmou nesta terça-feira (27) o vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Vershinin, durante a reunião do Conselho de Segurança da ONU.

A situação humanitária na Síria degradou-se perigosamente em meio ao conflito prolongado, à crise econômica, à pandemia de COVID-19, às sanções unilaterais por parte dos EUA e da UE, observou o diplomata.

Ele também destacou que “as sanções estão sendo reforçadas apesar do apelo do Secretário-Geral da ONU para mitigá-las no contexto da pandemia, em que 90% da população síria vivem abaixo da linha da pobreza e 70% não têm acesso a mantimentos, segundo dados da ONU”, disse Vershinin.

Em Idlib, província da Síria, rebeldes apoiados pela Turquia entram na cidade de Saraqeb, em 27 de fevereiro de 2020
Em Idlib, província da Síria, rebeldes apoiados pela Turquia entram na cidade de Saraqeb, em 27 de fevereiro de 2020

De acordo com o vice-ministro, é de caráter urgente ajudar a Síria na reconstrução de sua infraestrutura civil, sem politizar a questão nem estabelecer pré-condições.

Em comparação com 2011, a geração de eletricidade foi reduzida em 70%, e a produção de água potável em 30% a 40%. Cerca de 50% das instalações de irrigação foram perdidas, segundo dados de agências humanitárias internacionais presentes na Síria.

Fonte: Sputnik Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui