Acuado, Bolsonaro tenta rebater críticas: “querem imediatismo. Se você namorar e casar em uma semana, vai dar errado”

Planalto e um ato pelo impeachment de Jair Bolsonaro (Foto: Divulgação / Paulo Pinto (Agência Senado))

Na tentativa de afastar críticas pela falta de governabilidade, de retomada do crescimento e pelos crimes de responsabilidade, Jair Bolsonaro  afirmou nesta sexta-feira (10) que “alguns querem imediatismo”. “Se namorar e casar em uma semana, vai dar errado o casamento”, disse ele para seus apoiadores em referência a não buscar medidas precipitadas. Os relatos dele foram publicados pelo Correio Braziliense.

Bolsonaro disse que o país herdou “acúmulo de lixo” de 40 anos. “O que acontece: cada um fala o que quiser. O cara não lê a nota e reclama. Leia a nota. É bem curtinha. Duas ou três vezes, são 10 pequenos itens. A gente vai acertando. O acúmulo de lixo, de problemas, é de 30, 40 anos”, continuou.

“Os caras querem que eu tome medidas de imediato. Dá um tempo. Dá aí uns dois, três dias para a gente. Dá um tempo. O que aconteceu de imediato: você quer a gasolina mais barato não quer? Álcool, gás, isso tudo está indexado no preço do dólar”, acrescentou.

As críticas a Bolsonaro aumentaram após ele adotar novamente um tom golpista, quando participou dos atos da última terça-feira (7). Ministros do Supremo Tribunal Federal e até aliados dele no Congresso demonstraram indignação com a postura dele.

O presidente do STF, Luiz Fux, disse na quarta-feira (8) que a declaração de Bolsonaro sobre não obedecer decisões da Corte “configura crime de responsabilidade, a ser analisado pelo Congresso Nacional”.

Fonte: Brasil 247