As tropas do ‘mito’ e as Forças Armadas

Por Fernando Brito, em seu blog:

As agressões descabidas aos manifestantes anti Bolsonaro e as cenas de confraternização de policiais com os bolsonaristas – o diálogo de um deputado do PSL e um capitão, sobre queimar uma faixa de protesto e a proteção dada senhora histérica, de taco de beisebol e bandeira norte-americana a fazer ameaças – deveria deixar de cabelo em pé os generais da ativa na cúpula das forças armadas.

As polícias estaduais estão, à toda evidência, na iminência de quebrarem todas as cadeias de comando.

Estão prontas para reprimir com violência qualquer protesto contra o governo, enquanto agem – já há semanas – ajudando a organizar e a abrir caminho para mas marchas da morte, antes exigindo a abertura do comércio e, agora, o fechamento do Supremo.

Se, nas polícias, a “bolsonarização” ocorre, em boa parte, pela via da milícia que a elas se tornou simbiótica, no Exército ela foi patrocinada pelo próprio comando, que franqueou ao ex-capitão quartéis e academias militares para que ele desfilasse ali sua estupidez e – algo que traz em sua própria carreira militar – e sua indisciplina.

Há muitos sinais de que os oficiais do comando do Exército estão pressionados por uma pinça que é formada pelo grupo de militares palacianos e governistas – e não são poucos, porque o governo está tomado por centenas deles – e uma baixa oficialidade que está ideologicamente contaminada pelo extremismo de direita.

E não apenas isso: segundo levantamento do Ministério da Defesa, feito a pedido do Estadão, mostra que militares da ativa já ocupam quase 2,9 mil cargos no Executivo.

São 1.595 integrantes do Exército, 680 da Marinha e 622 da Força Aérea Brasileira (FAB).

A atitude do Ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, ao acompanhar num helicóptero do Exército, a chegada de Jair Bolsonaro em sua exibição equestre e asinina na Praça dos Três Poderes não poderia ter sido mais inconveniente.

Os comandantes do Exército, da Marinha e da Aeronáutica, neste momento, agarram-se a frangalhos de seus comandos.

Estão sendo conduzidos, embora obrigados ao silêncio e usurpados em suas atribuições.

E vendo, sobretudo, 30 anos de desfazimento da imagem golpista das Forças Armadas, indo para o ralo com um projeto que seria, afinal, o de profissionalização dos militares.

Na ânsia de parecerem heróis, viraram vilões.

18 COMENTÁRIOS

  1. My developer is trying to convince me to move to .net from PHP.
    I have always disliked the idea because of the expenses.
    But he’s tryiong none the less. I’ve been using Movable-type
    on a number of websites for about a year and am concerned about
    switching to another platform. I have heard fantastic things about blogengine.net.

    Is there a way I can transfer all my wordpress content into it?
    Any kind of help would be really appreciated!

    Feel free to surf to my site science-marketplace.org

  2. Purely to follow up on the up-date of this matter
    on your site and would like to let you know just how much I treasured the
    time you took to generate this handy post. Within the post, you really spoke regarding how to seriously handle this issue with all comfort.
    It would be my pleasure to get together some more thoughts from your blog and come up to offer other individuals what I learned from you.
    Many thanks for your usual excellent effort.

    Here is my webpage: http://www2u.biglobe.ne.jp/~itsuno/cgi-bin/rr7/rinzi/aska.cgi/aska.cgi?resala%20href=http://collegeapplicationpaperhelp.blogspot.com/2014/02/employment-law.htmlhow%20to%20write%20a%20college%20essay/a

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui