Bolsonaro se recusa a depor em inquérito

Foto: Reprodução DW

O presidente Jair Bolsonaro comunicou ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quinta-feira (26/11) que não prestará depoimento no caso que investiga as declarações do ex-ministro Sergio Moro contra ele sobre suspeitas de interferência na Polícia Federal (PF).

No documento enviado STF, a Advocacia Geral da União (AGU) informa o desejo do presidente de “declinar do meio de defesa que lhe foi dado unicamente por meio presencial.

O inquérito está paralisado desde 17 de setembro, devido à indefinição sobre o depoimento de Bolsonaro. Na ocasião, o ministro Marco Aurélio Mello suspendeu a investigação até que o plenário do STF decida se Bolsonaro tem ou não o direito de depor por escrito, ao invés de presencialmente.

Poucos dias antes, o então relator do caso, o ministro Celso de Mello havia determinado que Bolsonaro deveria depor pessoalmente por estar sendo alvo da investigação. O inquérito foi aberto em abril, após Moro pedir demissão do Ministério da Justiça e lançar acusações contra o presidente.

Segundo o ex-ministro, Bolsonaro decidiu trocar a chefia da corporação em abril, à época comandada por Maurício Valeixo, para ter acesso a informações de inquéritos sobre a família dele. A exoneração de Valeixo levou à renúncia de Moro ao cargo de ministro no mesmo dia.

Ao STF, a AGU pediu ainda que a investigação seja concluída sem o depoimento de Bolsonaro, e negou mais uma vez as acusações de que presidente tentou interferir indevidamente na nomeação de cargos da PF para proteger família e amigos.

Cabe agora ao atual relator do caso, o ministro Alexandre de Moraes decidir sobre o pedido do presidente. Com investigado, Bolsonaro pode permanecer em silêncio ou até mesmo faltar o depoimento. A oitativa é uma das últimas medidas do inquérito.

O caso

Maurício Valeixo foi exonerado da chefia da PF em 24 de abril. Na véspera, Moro havia dito a Bolsonaro que não ficaria no ministério se o diretor-geral fosse afastado, e acabou pedindo demissão na mesma data. À época, o ex-ministro afirmou que não assinou a exoneração de Valeixo e que ficou sabendo dela pelo Diário Oficial. Ele também já havia declarado que Valeixo não pediu para deixar o cargo, como Bolsonaro chegou a alegar.

Ao anunciar sua renúncia, o ex-juiz acusou o presidente de tentar interferir na Polícia Federal ao cobrar a troca da direção-geral, bem como a do comando da Superintendência no Rio de Janeiro. As declarações acabaram levando à abertura de uma investigação pelo Supremo em 28 de abril. Bolsonaro vem negando as acusações desde então.

Tanto o presidente como Moro são investigados na ação, que apura se Bolsonaro de fato tentou interferir na PF, ou se o ex-ministro da Justiça mentiu em suas alegações.

Em depoimento ao Supremo, Moro apontou que uma reunião ministerial realizada em 22 de abril serviria de prova contra Bolsonaro no caso, e Celso de Mello acabou tornando pública a gravação do encontro em maio, gerando fortes repercussões no meio político pelo teor das conversas.

As imagens mostraram que o presidente estava insatisfeito com a Polícia Federal e revelaram desejos de Bolsonaro de proteger seus filhos, irmãos e amigos.

“Já tentei trocar gente da segurança nossa no Rio de Janeiro oficialmente e não consegui. Isso acabou. Eu não vou esperar foder minha família toda de sacanagem, ou amigo meu, porque eu não posso trocar alguém da segurança na ponta da linha que pertence à estrutura. Vai trocar, se não puder trocar, troca o chefe dele; não pode trocar o chefe, troca o ministro. E ponto final. Não estamos aqui para brincadeira”, disse Bolsonaro na reunião.

Enquanto a defesa do mandatário insiste que a preocupação fosse em torno da segurança física de seus familiares, Moro disse em depoimento que Bolsonaro estava preocupado com investigações em curso que atingiriam sua família, por isso os desejos de trocas em postos-chave da PF.

 

Fonte: Deutsche Welle (DW)

21 COMENTÁRIOS

  1. Great ? I should certainly pronounce, impressed with your site.

    I had no trouble navigating through all tabs as well as related info ended up being
    truly simple to do to access. I recently found what I hoped for before you know it at all.

    Quite unusual. Is likely to appreciate it for those who add forums or anything, site theme .
    a tones way for your client to communicate. Nice task.

    Look at my blog post: http://www.groovyfreeads.com

  2. I rarely leave a response, however I browsed some responses on Bolsonaro se recusa a depor em
    inquérito – Notícias da Bahia. I do have some questions for
    you if it’s okay. Could it be simply me or do a few of these remarks appear as if they are left by brain dead people?
    😛 And, if you are writing at additional places, I would like to keep up with you.
    Would you post a list of the complete urls of all your public sites like
    your linkedin profile, Facebook page or twitter feed?

    My webpage: cgi.members.interq.or.jp

  3. I will right away snatch your rss feed as I can not in finding your email subscription hyperlink or e-newsletter
    service. Do you’ve any? Please allow me recognise in order
    that I may subscribe. Thanks.

  4. An outstanding share! I’ve just forwarded this
    onto a co-worker who has been doing a little homework on this.

    And he in fact ordered me breakfast due to the fact
    that I discovered it for him… lol. So let me reword this….
    Thank YOU for the meal!! But yeah, thanks for spending time to talk about this topic here on your
    site.

  5. hi!,I really like your writing so much! share we keep in touch
    extra approximately your post on AOL? I require a specialist in this area to unravel my problem.
    May be that is you! Looking forward to see you.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui