Brasil tem 1.335 mortes em 24h e passa de 214 mil óbitos por COVID-19

© AP Photo / Bruna Prado

Nesta quinta-feira (21), o Brasil registrou 1.335 novas mortes por COVID-19 e chegou a um total de 214.228 óbitos causados pela doença.

Conforme os dados do consórcio dos veículos de imprensa, com informações das secretarias estaduais de saúde, a média móvel de mortes no país chegou a 1.010 óbitos diários. Com tendência de alta, a variação da média de mortes foi de 16% em relação aos últimos 14 dias.

Já os casos confirmados foram 59.946 nesta quinta-feira (21), levando a um total de 8.699.814 diagnósticos positivos de COVID-19 no Brasil. Com isso, a média móvel diária de casos chegou a 53.386, o que aponta uma alta de 18% em relação às duas últimas semanas e tendência de alta no número de casos.

Ao todo, nove estados registram alta na média de mortes: Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso, Amazonas, Roraima, Tocantins, Alagoas, Pernambuco e Sergipe.

A cidade de Manaus, no estado do Amazonas, continua com um alto índice de contaminação e mortes de vítimas do novo coronavírus (COVID-19). O estado vive uma crise sanitária e sofre com a falta de balões de oxigênio para pacientes internados nos hospitais da cidade portadoras do vírus
© FOLHAPRESS / PHIL LIMMA A cidade de Manaus, no estado do Amazonas, continua com um alto índice de contaminação e mortes de vítimas do novo coronavírus

No Amazonas, que há uma semana viu seu sistema de saúde entrar em colapso e os estoques de oxigênio se esgotarem, a média de mortes saltou de 12 óbitos diários para 118 ao longo do último mês.

Os estados que estão com a tendência de mortes estável são: Rio Grande do Sul, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Goiás, Pará, Roraima, Bahia, Maranhão e Piauí.

Já as unidades federativas que apresentam tendência de queda são: Paraná, Santa Catarina, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Acre, Amapá, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte.

Conforme os dados do Ministério da Saúde, os estados com mais impactados pela pandemia no país em números absolutos de casos e mortes continuam sendo São Paulo e Rio de Janeiro. Em São Paulo, são quase 1,7 milhão de casos e 50,9 mil mortes por COVID-19. Já no Rio de Janeiro, são cerca de 494 casos confirmados e 28,4 mil óbitos.

O Rio de Janeiro tem a maior taxa de mortalidade do país, com 164,7 mortes a cada 100 mil habitantes. Logo em seguida vem o Amazonas, com uma taxa de 163 óbitos a cada 100 mil pessoas.

Número de vacinados no Brasil passa de 100 mil

Nesta quinta-feira (21), o consórcio de veículos de imprensa também passou a divulgar o número de pessoas vacinadas no Brasil. Até o momento, são 109.097 pessoas vacinadas no país.

Idosa do grupo indígena Ticuna recebe vacina contra COVID-19 no Amazonas.
© AP PHOTO / ANDRÉ BORGES Idosa do grupo indígena Ticuna recebe vacina contra COVID-19 no Amazonas.

A campanha de imunização começou no estado de São Paulo no dia 17 de janeiro, após aprovação das vacinas CoronaVac e Covishield pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Segundo os dados da Universidade Johns Hopkins, o Brasil é o segundo país com mais mortes em números absolutos, atrás apenas dos Estados Unidos. Os EUA acumulam mais de 24 milhões de casos confirmados, além de quase 410 mil mortes por COVID-19. Segundo os dados do site Our World in Data, os EUA já vacinaram 16,5 milhões de habitantes.

 

Fonte: Sputnik Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui