Centenas de caminhões ficam presos na fronteira do Reino Unido

Foto: Reprodução DW

Centenas de caminhões ficaram presos em enormes engarrafamentos no porto de Dover, na costa sul da Inglaterra, nesta terça-feira (22/12). Muitos motoristas expressaram irritação e tristeza com a repentina proibição de viagem à Europa continental.

A França fechou suas fronteiras com o Reino Unido no domingo. O governo francês impôs proibições de tráfego rodoviário, ferroviário, aéreo e marítimo entre os dois países depois que uma nova cepa mais contagiosa do coronavírus foi identificada no Reino Unido.

As restrições repentinas, implementadas para evitar a propagação da nova variante do Sars-CoV-2, afetaram uma das rotas comerciais mais importantes da Europa.

“Os motoristas disseram temer que não consigam chegar a tempo em casa para o Natal”, disse a correspondente da DW Charlotte Chelsom-Pill após ouvir motoristas de caminhões parados nas faixas de acostamento das rodovias que levam a Dover.

A secretária de Estado para os Assuntos Internos do Reino Unido, Priti Patel, disse à rádio BBC que cerca de 650 caminhões estavam enfileirados na rodovia principal para Dover, enquanto outros 873 caminhões foram redirecionados para um aeroporto próximo. No entanto, o número de caminhões presos no engarrafamento parecia ser ainda maior.

Uma das propostas para desbloquear o engarrafamento é realizar testes de covid-19 em massa nos motoristas. Mas, segundo a correspondente da DW, essa solução provavelmente também significaria atrasos para os caminhoneiros. “A questão é quanto tempo isso vai levar. Quantos dias esses motoristas ainda ficarão presos aqui?”, disse.

Cerca de 30 países em todo o mundo, incluindo muitos países europeus, também suspenderam as conexões aéreas com o Reino Unido.

Londres e Paris discutem sobre desbloqueio

O governo do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, tem se esforçado para chegar a um acordo sobre medidas que permitam o retorno do fluxo de cargas – enquanto britânicos temem sofrer escassez de alimentos, como frutas e repolho.

O governo do Reino Unido está em negociações com a França para chegar a um acordo que permita que os trens de carga retomem as operações. Tanto Londres como Paris expressaram que a expectativa é que um acordo seja alcançado ainda nesta terça-feira.

Patel disse que o governo britânico está “em constante diálogo” com os colegas franceses. “É do interesse de ambos os países garantir que tenhamos fluxo e, evidentemente, há transportadores europeus que querem retornar para casa”, disse a secretária à rádio BBC.

O que se sabe sobre a nova cepa do coronavírus

No fim de semana, Johnson comunicou em discurso à nação que uma nova cepa do coronavírus havia sido identificada na Inglaterra e que a mutação aparentava ser mais contagiosa.

Especialistas sanitários britânicos disseram que a nova cepa é até 70% mais contagiosa. Virologistas aconselharam, no entanto, as pessoas a não entrarem em pânico e argumentaram que os dados sobre a nova cepa ainda estão sendo revisados.

Autoridades britânicas comunicaram que a nova variante não leva a um aumento nos casos graves de covid-19 e não causa efeitos colaterais mais severos. Os pesquisadores ainda estão avaliando se a nova cepa será mais ou menos receptiva às vacinas. Embora ainda não se tenha chegado a nenhuma conclusão, autoridades sanitárias afirmaram que a nova cepa provavelmente não terá um impacto sobre a eficácia de imunizantes.

 

Fonte: Deutsche Welle (DW)