China defende posição do Irã e rejeita mudanças no acordo nuclear

O diretor-geral do Departamento de Controle de Armas do Ministério das Relações Exteriores da China, Fu Cong, fala com repórteres. Foto: Reprodução HISPANTV

A China não apóia a renegociação do pacto nuclear com o Irã, mas reafirma que os EUA são a chave para salvar esse marco da diplomacia, do qual esta surgiu em 2018.

Em entrevista que concedeu à rede local CGTN nesta quarta-feira  , após participar da reunião virtual da Comissão Mista do Plano Integral de Ação Conjunta (PIAC ou JCPOA, por sua sigla em inglês) – nome oficial do referido pacto -, o diretor O general do Departamento de Controle de Armas do Ministério das Relações Exteriores da China, Fu Cong, reiterou a oposição de Pequim a qualquer mudança na versão original do acordo.

Fu destacou a importância do retorno dos Estados Unidos ao JCPOA e ressaltou que o Irã deixou claro que se Washington o fizer e as sanções impostas contra ele forem suspensas, rescindirá todas as medidas que tomou para reduzir os compromissos assumidos sob o pacto. .

Não temos razão para duvidar, disse o ministro chinês, argumentando que o comportamento do Irã na implementação de suas obrigações foi exemplar até antes de os Estados Unidos abandonarem o tratado assinado em 2015 por Teerã e o Grupo 5 + 1 – então formado por EE. .EUA, Reino Unido, França, Rússia e China, além da Alemanha.

Acreditamos que o retorno de Washington ao JCPOA é a chave para desbloquear a situação atual. Claro, queremos dizer que os Estados Unidos devem retornar às suas obrigações sob o acordo e suspender todas as sanções relacionadas, ou seja, tanto as sanções impostas ao Irã quanto aquelas aplicadas a terceiros ”, enfatizou Fu.

O futuro do acordo nuclear é incerto, uma vez que o governo do ex-presidente dos EUA, Donald Trump, o abandonou em maio de 2018 e impôs sanções econômicas ao Irã para forçá-lo a assinar um pacto mais intrusivo. E não contente com esta medida ilegal e sua ‘pressão máxima’, Washington pressionou seus parceiros europeus a abandonarem o pacto.

A Europa, apesar de permanecer dentro do acordo, pelo menos na palavra, nada fez para resolver a crise. O Irã adotou medidas retaliatórias, suspendendo alguns de seus compromissos nucleares, mas esclarece que suas ações são reversíveis e que implementará integralmente o acordo novamente, caso os demais signatários façam o mesmo.

O Irã tem enfatizado repetidamente que o  acordo nuclear não é renegociável, mas acolhe um possível retorno ao acordo por parte do novo governo dos EUA.

 

Fonte: HISPANTV

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui