Chomsky: EUA procuram “torturar” iranianos com embargos ilegítimos

Cientista político americano Noam Chomsky. Foto: Reprodução HISPANTV

O proeminente cientista político Noam Chomsky rejeita as sanções dos EUA contra o Irã como ilegítimas e diz que Washington pretende “torturar” a nação persa.

As sanções dos EUA impostas ao Irã “são um meio de torturar e aterrorizar a população persa”, disse o famoso filósofo e cientista político americano em uma conferência virtual realizada na Universidade Habib, no Paquistão.

Chomsky atribuiu a campanha de lobby de Washington contra Teerã à recusa do país persa em obedecer às ordens do governo dos Estados Unidos, presidido por Donald Trump.

Anteriormente, o famoso linguista norte-americano havia descrito as sanções anti-iranianas de Trump como “puro sadismo”, argumentando que tais restrições foram deliberadamente ajustadas para aumentar o sofrimento do povo persa.

A administração Trump restabeleceu as sanções econômicas contra o Irã após ordenar, em maio de 2018,  a retirada de Washington do acordo nuclear  – oficialmente chamado de Plano Abrangente de Ação Conjunta (PIAC ou JCPOA, na sigla em inglês) – para forçar o país Persa para assinar um pacto mais intrusivo.

Apesar de várias queixas, como a de Chomsky, os EUA não só se recusaram a suspender as sanções contra o Irã, mas as endureceram várias vezes, tornando quase impossível para a República Islâmica do Irã ter acesso a medicamentos e equipamentos. médicos de que você precisa, especialmente no meio da nova pandemia de coronavírus, que causa COVID-19.

As autoridades iranianas descrevem os embargos e restrições impostos pelos Estados Unidos como  “crimes contra a humanidade” , embora excluam qualquer eficácia de tal estratégia coercitiva que visa colocar os iranianos de joelhos.

 

Fonte: HISPANTV