Conferências de Ater são realizadas nos 27 territórios de Identidade da Bahia

Foto: Divulgação

O ciclo das 27 conferências territoriais, preparatórias da 3ª Conferência Estadual de Ater na Agricultura Familiar e Reforma Agrária (CEATER), encerraram, nesta terça-feira (31), com as conferências dos Territórios Baixo Sul, Sisal, Costa do Descobrimento e Bacia do Rio Corrente. Com o tema Consolidando o Sistema Estadual de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), os encontros aconteceram de forma virtual, com uma participação intensa de todos os segmentos vinculados à agricultura familiar nos Territórios de Identidade da Bahia.

Para a etapa territorial foram inscritos 3.374 representantes dos diversos segmentos vinculados à agricultura familiar nos territórios, entre eles, das associações e cooperativas de agricultores e agricultoras familiares, prestadoras do serviço de Ater e do poder público.

“Fechamos o ciclo das conferências territoriais de Ater com um saldo bastante positivo, com uma grande participação de agricultoras e agricultores familiares e suas organizações, contemplando toda a sua diversidade, associações, cooperativas, organizações parceiras de Ater, prefeituras municipais e suas secretarias, consórcios públicos, sindicatos de trabalhadores rurais. Registramos em todos os territórios uma ação incisiva dos colegiados territoriais, juntamente com as equipes da Superintendência Baiana de Assistência Técnica e Extensão Rural (Bahiater/SDR) e Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR/SDR), na organização de cada conferência. Agora, caminhamos para as conferências temáticas, que acontecerão em setembro, para, enfim, em outubro, termos a nossa grande Conferência Estadual de Assistência Técnica e Extensão Rural”, destacou Célia Watanabe, superintendente da Bahiater.

Para Eleneide Alves, presidente da Coordenação Estadual dos Territórios (CET), essa etapa territorial foi necessária para receber as demandas dos agricultores, dos prestadores de Ater, para levar para a etapa estadual: “Avaliamos que foi de muito importante para todos nós dos territórios, para tirarmos os encaminhamentos e demandas, para mudar a forma de fazer a assistência técnica nos territórios da Bahia, com a participação dos parceiros que têm em cada um deles. Para assim termos uma Ater continuada e participativa, com todas as instituições que fazem a Ater, para a agricultura familiar ter grande sucesso, os agricultores melhorarem sua renda e, consequentemente, o Estado ter um produto interno bruto (PIB) bem melhor”.

Carlos Alberto, do Movimento de Luta Pela Terra (MLT), que é agricultor e também coordenador do Território de Identidade Litoral Sul, ressalta que vem trabalhando na abordagem da política territorial, em que a Ater é propulsora, para que os agricultores possam produzir os alimentos saudáveis e garantir segurança e soberania alimentar, principalmente no momento que passamos de pandemia. Ele salienta que a 3ª CEATER veio em um momento importantíssimo, para discutir também os desafios e avanços, assim como a etapa territorial, que contou com 14 inscritos: “Tivemos boas representatividades e tiramos as propostas, como a da Bioeconomia de Plantas Medicinais para a produção de fármacos ambiente e alimentos saudáveis”.

A 3ª Conferência Estadual de Ater é uma iniciativa da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), por meio da Superintendência Baiana de Assistência Técnica e Extensão Rural (Bahiater), em parceria com o Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural Sustentável (CEDRS).

Eleição dos(as) delegados(as)

No total, participarão da etapa estadual 280 delegados(as) eleitos(as), dentre os representantes do poder público e da sociedade civil, incluindo representantes da agricultura familiar e das prestadoras de Ater, de todos os territórios de Identidade, além dos 37 delegados(as) natos(as), membros do CEDRS. Para a eleição foram considerados critérios de gênero, sendo 50% mulheres e 50% homens, com 20% de cotas para jovens e 20% para povos e comunidades tradicionais (PTC).

Entre os objetivos da 3ª CEATER, está a definição de estratégias e ações prioritárias para promover a universalização da Ater pública e de qualidade para os agricultores e as agricultoras familiares em todo o estado da Bahia. Entre os temas discutidos está também o fortalecimento da produção de base agroecológica.

Programação da 3ª CEATER 

A programação contará com a realização, no próximo mês de setembro, de quatro conferências temáticas, voltadas para Mulheres (14/09), Povos e Comunidades Tradicionais (16/09), Juventude Rural (21/09) e Reforma Agrária (23/09). O encerramento da 3ª CEATER se dará com a realização do Seminário Estadual de Ater, no período de 20 a 22 de outubro de 2021.

Os debates da conferência estão divididos em três eixos: 1: Sistema Estadual de ATER – Fortalecimento das institucionalidades, financiamento e monitoramento dos serviços prestados; 2: ATER e a relação de políticas públicas complementares para o fortalecimento e efetividade produtiva da Agricultura Familiar; e 3: Agroecologia, Ambiente e Alimentos Saudáveis.