Crime ambiental: proibição de descarte de entulho no CIA

Foto: Ascom/PROCIA

 

Como forma de coibir o descarte irregular de lixo e entulho no Centro Industrial de Aratu (CIA), a PROCIA e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado (SDE) instalaram placas informativas nas vias onde a prática é recorrente. A medida é educativa e visa conscientizar sobre a atividade, configurada como crime ambiental de acordo com a lei Lei 9.605/1998.

“Estamos empenhados em acabar com esta prática criminosa, que polui e põe em risco quem trafega pelo CIA. Com as placas cumpre-se a função educativa de alertar sobre a proibição, porém, com o apoio da fiscalização da SDE e entidades de segurança pública do Estado, também deverão ser aplicadas sanções aos que insistirem em descumprir a lei. Por ser um ambiente exclusivamente empresarial, polo gerador de emprego e renda, não se pode nem deve descuidar deste importante fator”, explica o diretor executivo da PROCIA, Marconi Andraos.

“Precisamos conscientizar a população de que o CIA é importante para o desenvolvimento econômico do Estado. Vamos manter uma fiscalização ostensiva de combate ao descarte de resíduos, que traz risco eminente de acidentes e desperdício de dinheiro público com a limpeza dos locais, além de desvalorizar a área e afastar investidores”, declara o vice-governador João Leão, secretário de Desenvolvimento Econômico.

A SDE, com o apoio da PROCIA, lidera uma força tarefa de fiscalização que inclui as polícias civil, militar e órgãos de fiscalização ambiental das prefeituras de Simões Filho, Candeias e do Governo do Estado (Inema). Desde agosto, quatro condutores já foram detidos e tiveram seus veículos apreendidos por conta da prática ilegal.