Curso superior de Tecnologia em Apicultura e em Meliponicultura forma primeira turma

Foto: Divulgação

O curso superior de Tecnologia em Apicultura e em Meliponicultura do Norte e Nordeste do País, implantado pelo Governo da Bahia, em parceria com a Universidade de Taubaté (Unitau) e a Cooperativa dos Apicultores de Tucano (Cooapit), formou a primeira turma, nesta quarta-feira (16). A solenidade de colação de grau dos 28 formandos foi realizada virtualmente.

Na Bahia, a graduação foi voltada para Agentes Comunitários de Apicultura (ACAs), que atuam no âmbito do projeto Bahia Produtiva, executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), com cofinanciamento do Banco Mundial, além de outras pessoas interessadas no tema. Dos 28 formandos, 20 tecnólogos são baianos.

Para o secretário da SDR, Josias Gomes, o curso mostra sua importância, principalmente por se tratar de uma atividade que nessa pandemia se destacou: “Em boa hora, temos essa inovação, promovida pela universidade de Taubaté, que vem a calhar com um esforço que o Governo do Estado, que é o Parceria Mais Fortes, Juntos para Alimentar a Bahia, para que a gente possa fortalecer 16 sistemas produtivos, entre eles, o de Apicultura. Parabéns aos novos tecnólogos que chegam para elevar a produção e a produtividade do mel na Bahia”.

O secretário de Educação do estado da Bahia e patrono da turma, Jerônimo Rodrigues, falou da alegria de participar de ato simbólico e remoto, mais muito importante para uma cadeia produtiva que envolve muitos agricultores familiares: “Orgulho de eventos como este. Luta e vitória, com temas tão caros como formação, educação superior, abelhas, meio ambiente, sonhos, desafios vencidos. Tenho um vínculo com esse assunto e essa é uma inovação salutar pra que gente possa, com a Universidade de Taubaté, dialogar e compreender como podemos fazer parceria com as nossas universidades estaduais do estado da Bahia”.

Wilson Dias, diretor-presidente da CAR, afirmou que essa conexão da Meliponicultura e da Apicultura com a agricultura familiar é muito forte. Queremos continuar nessa parceria com a universidade de Taubaté para dar continuidade a essa ação, para melhorar ainda mais os resultados na Bahia e no Brasil, e chegar ao nosso objetivo principal, que é melhorar as condições de vida da população. Esses novos profissionais estarão espalhados por todos os territórios baianos, a serviço da sociedade, e vão ter condições de mostrar em suas atividades cotidianas o quanto foi importante o aprendizado deste curso e o conhecimento adquirido até agora”.

O jovem Renilson Rodrigues vivenciou o êxodo rural. Ele retornou à sua origem e realizou o sonho de atuar em um projeto na sua comunidade e cursar uma universidade: “Muito honrado, sonho realizado, dificuldade superada. Hoje profissional qualificado”.

Atuação 

O tecnólogo em Apicultura e em Meliponicultura é o profissional que, com base nos procedimentos e técnicas adequados, gera e executa o controle operacional das diferentes atividades que compõem a cadeia e o arranjo produtivo apícola, promovendo a sua melhoria contínua para atingir níveis de serviço e de produtos mais elevados.

O curso objetiva formar profissionais com uma forte base conceitual e capacitados a atuarem efetivamente no mercado de trabalho. As aulas presenciais foram realizadas trimestralmente nas instalações da Cooperativa de Apicultores de Tucano (Cooapit), no município de Tucano.

Segundo dados do IBGE (2016), a Bahia ocupa o 1º lugar na Região Nordeste, produzindo aproximadamente 3,6 toneladas de mel. As atividades da Apicultura e Meliponicultura estão entre as estratégias dos projetos produtivos do Governo do Estado, que busca aproveitar esse potencial. Por isso, vem investindo em inovações para a melhoria do nível tecnológico, dando oportunidade para melhores condições de vida no campo, com aumento de renda, minimizando o êxodo rural, sobretudo da juventude, de forma que os efeitos sejam efetivos e tenham o impacto na produção, na agroindustrialização e na comercialização dos produtos.

 

Fonte: Ascom/ BA