Depois de liquidar o auxílio emergencial, governo Bolsonaro diz que vai emprestar até R$ 1.000 a quem recebe Bolsa Família

Pessoas esperam em fila do lado de fora de agência da Caixa para receber o auxílio emergencial do governo durante a pandemia. 27/04/2020 (Foto: REUTERS/Ricardo Moraes)

Depois de negar a continuidade do auxílio emergencial, que já tinha sido reduzido de R$ 600 para R$ 300, o governo estuda emprestar dinheiro às pessoas pobres que recebem o Bolsa Família. O plano é implantar um programa de microcrédito que liberaria empréstimos de R$ 500 a R$ 1.000.

Ainda não está definido se o dinheiro dos empréstimos terá origem em recursos orçamentárias da União ou da Caixa. O orçamento inicial do programa não deve superar R$ 2 bilhões. O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, já declarou que pretende transformar o Caixa Tem em um banco digital e fazer uma oferta inicial de ações. E entre os produtos que ele quer oferecer aos correntistas está o microcrédito, com empréstimos de até R$ 1.000, informa o UOL.

O plano do governo levaria as pessoas pobres de beneficiárias de um auxílio a devedoras do capital financeiro.

 

Fonte: Brasil 247