Governistas e oposição: CPI da Covid lista políticos que espalharam fake news sobre pandemia

© REUTERS / Adriano Machado

Os técnicos da CPI da Covid notaram que há grande coincidência nos nomes que aparecem nas investigações da comissão e na lista dos atos antidemocráticos apurados pelo Supremo Tribunal Federal.

Vinte e seis políticos integram lista de parlamentares que disseminaram desinformação sobre a COVID-19 desde o início da pandemia do novo coronavírus. A relação foi elaborada pela CPI da Covid e divulgada nesta quarta-feira (21) pelo portal Congresso em Foco.

A lista foi produzida por 41 voluntários que o relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL), reuniu e que atuam na checagem de informações publicadas por parlamentares nas redes sociais. O objetivo é verificar suas responsabilidades na disseminação de ideias falsas ou distorcidas sobre a pandemia. A lista possui ministros do governo Bolsonaro, deputados e senadores. Alguns, inclusive, de oposição.

“A ideia, ao final, é verificar suas responsabilidades na disseminação de ideias falsas ou distorcidas sobre a pandemia. Como pessoas públicas, com credibilidade junto à parte da sociedade, as opiniões desses políticos acabem tendo forte importância na formação de conceitos que podem ter dificultado o combate à doença no país”, diz a mídia.

Da direita para a esquerda: o vice-presidente da CPI da Covid, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), o relator da CPI, senador Renan Calheiros (MDB-AL) e o senador Humberto Costa (PT-PE) durante entrevista coletiva no Senado Federal, em Brasília. Foto de arquivo
© FOLHAPRESS / PEDRO LADEIRA Da direita para a esquerda: o vice-presidente da CPI da Covid, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), o relator da CPI, senador Renan Calheiros (MDB-AL) e o senador Humberto Costa (PT-PE) durante entrevista coletiva no Senado Federal, em Brasília. Foto de arquivo

Lista completa dos políticos

Os técnicos da CPI da Covid notaram que há grande coincidência nos nomes que aparecem nas investigações da comissão e na lista dos atos antidemocráticos apurados pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Entre eles, o presidente Bolsonaro (sem partido), o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), o deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), que está preso, e a deputada Bia Kicis (PSL-DF).

A lista cita também alguns políticos de oposição ao governo, como as deputadas Gleisi Hoffmann (PT-PR), Erika Kokay (PT-DF) e Sâmia Bomfim (PSOL-SP) e o deputado Marcelo Freixo (PSB-RJ). Confira a lista completa de políticos:

Alê Silva (PSL-RJ), Aline Sleutjes (PSL-PR), Bia Kicis (PSL-DF), Capitão Derrite (PP-SP), Carla Zambelli (PSL-SP), Carlos Jordy (PSL-RJ), Caroline de Toni (PSL-SC), Coronel Tadeu (PSL-SP), Daniel Silveira (PSL-RJ), Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), Erika Kokay (PT-DF), Fábio Faria (ministro das Comunicações), Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), Gleisi Hoffmann (PT-PR), Hélio Lopes (PSL-RJ) ,Jair Bolsonaro (presidente da República), Luiz Philipe de Orleans e Bragança (PSL-RJ), Marcelo Freixo (PSB-RJ), Marcelo Álvaro Antônio (ministro do Turismo), Marcio Labre (PSL-RJ), Marco Feliciano (PSC-SP), Onyx Lorenzoni (ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência), Osmar Terra (MDB-RS), Paulo Eduardo Martins (PSC-SP), Sâmia Bomfim (PSL-SP) e Vitor Hugo (PSL-GO).

Fonte: Sputnik Brasil