Lavagem do Bonfim serve de palco para manifesto contra o Tribunal de Justiça

Postado em 17/01/2019 11:03 - Atualizado em: 17/01/2019 11:03
Share Button

Lavagem do Bonfim serve de palco para manifesto que pede diminuição de déficit de servidores no TJ e convocação de aprovados do último concurso

Foto: Divulgação

Aprovados no último concurso do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), que aguardam nomeação do órgão desde 2014, realizam Ato de Protesto contra a demora do TJ, nesta quinta-feira (17.01), durante a tradicional Lavagem do Bonfim. A ação tem o intuito de chamar a atenção dos dirigentes do órgão, um dos mais antigos do país e com maior déficit, para a necessidade de convocação dos profissionais. Cerca de duas mil pessoas aprovadas em cadastro de reserva estão esperando pela nomeação. De acordo com Jakson Rodrigues, um dos aprovados, a reivindicação é legítima, visto que existe um déficit de mais de 25 mil vagas para servidores no TJ, um número superior de cargos comissionados do que estipula a legislação, servidores sobrecarregados e comarcas fechando ou funcionando de forma precária por falta de pessoal – o que impacta negativamente no acesso à Justiça, por parte da população. O Ato teve início, às 09 horas, com concentração em frente ao Mercado Modelo.

Share Button