Liga do Samba Junino realiza aula – show virtual sobre levada rítmica do Samba Duro

Foto: Divulgação

A Liga do Samba Junino irá realizar no próximo dia 29, a partir das cinco horas da tarde a aula show virtual “Samba Duro, formando uma nova geração sem esquecer suas raízes”.

O projeto que foi apoiado com o prêmio Samba Junino Ano III 2019 da Fundação Gregório de Matos, da Prefeitura Municipal de Salvador, consiste na realização de uma live aula show com os elementos culturais do Samba Junino com destaque para a levada rítmica do Samba Duro. A realização do evento segue todos os protocolos sanitários de combate a covid-19.

“O objetivo da Liga é preservar, fortalecer e difundir cada vez mais a cultura do Samba Junino em nossa cidade no intuito de promover o contato entre várias gerações de sambadoras e sambadores, mestras e mestres desta cultura e para dar mais visibilidade a este movimento cultural, além de formar novas gerações do Samba Junino”, afirma o produtor cultural Vagner Shrek.

Em função da pandemia do novo coronavírus, a aula show acontecerá de forma virtual e será transmitida a partir das cinco horas da tarde nas redes sociais da Liga do Samba Junino. E, para falar dos elementos da cultura do Samba Junino, a live irá contar com os grupos Balão de Ouro, Bicho da Cana, Samba Duro VS, Samba do Morro, Samba Neguinho e Zumbaê. E como a live será sobre Samba Junino, as sambadoras não poderiam ficar de fora. Para abrilhantar a aula, a live terá a participação de Pokett Nery, Samona Costa e Adriele Costa.

“Com essa proposta, pretendemos promover a integração, articulação e intercâmbio cultural com os atores sociais e grupos de Samba Junino que permanecem na resistência pela valorização deste patrimônio cultural”, conclui Shrek.

 

Sobre o Samba Junino:

O samba junino representa uma expressão cultural genuinamente soteropolitana, marcado pela rítmica do samba duro, disseminada há pelo menos 40 anos em diversos bairros de Salvador. Os bairros tradicionais que realizam os festejos são Engenho Velho de Brotas, Engenho Velho da Federação, Federação, Garcia, Tororó, Nordeste de Amaralina, dentre outros. Em fevereiro de 2018, o Samba Junino foi reconhecido como Patrimônio Imaterial de Salvador.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui