Manuela D’Ávila sofre ameaça e pede reforço na segurança

Postado em 25/09/2018 11:10 - Atualizado em: 25/09/2018 11:10
Share Button
Após fake news candidata passou a receber ameças de apoiadores de Bolsonaro (Tuane Fernandes)
por Redação — Carta Capital

Apoiadores de Bolsonaro espalharam uma notícia falsa associando a candidata a vice a Adelio Bispo de Oliveira, preso por atacar o candidato

A defesa da candidata a vice-presidente Manuela D’Ávila (PCdoB) entrou nesta segunda-feira 24 com uma representação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para que sua segurança seja reforçada por agentes da Polícia Federal.

O pedido foi feito depois que apoiadores do candidato Jair Bolsonaro espalharam pelas redes sociais uma fake news associando Manuela ao agressor de Bolsonaro, Adélio Bispo de Oliveira. 

Diversas publicações em redes sociais como Facebook, Instagram e Twitter afirmam que a Polícia Federal teria quebrado o sigilo telefônico de Adélio e que a candidata do PCdoB teria ligado várias vezes para monitorar o agressor. As mensagens dizem, ainda, que Manuela e o PT teriam planejado o ataque a faca contra o candidato do PSL.

Após as publicações, a candidata passou a receber mensagens sugerindo que ela tenha mais cuidado em suas agendas públicas.

Atualmente Manuela conta apenas com seguranças particulares para as agendas no Rio Grande do Sul, seu estado, e em São Paulo. Nos demais estados é feito por militantes da campanha. Fernando Haddad, por ser o cabeça de chapa, conta com segurança da PF.

Leia mais: 
O #EleNão e o voto das mulheres

Em entrevista à Rádio Bandeirantes nesta segunda Manuela afirmou que a primeira vez que viu a notícia falsa a mensagem tinha compartilhada por mais de mil perfis no Facebook. “Na segunda vez que eu vi a fake news já tinha sido compartilhada mais de 16 mil vezes. Eu acho que a gente tem que saber quem paga por isso, porque essas informações influenciam as pessoas a tomaram as suas decisões, e eu não acho que dá pra dar decidir assim.”

O pedido está sob relatoria do ministro Og Fernandes e não há prazo para que haja manifestação a respeito dele.

Share Button