Oficina de pipas marca lançamento do Projeto “Brincadeiras de antigamente”

Postado em 15/10/2018 14:57 - Atualizado em: 15/10/2018 14:57
Share Button

Ação idealizada pela ACEB está confirmada para os dias 20 e 21 de outubro na Praia do Flamengo

Valorização da tradição presente nas brincadeiras da época dos nossos pais e avós; enriquecimento cultural; aprimoramento da coordenação motora fina; desenvolvimento da consciência corporal; estímulo à criatividade e integração social são alguns dos objetivos do Projeto “Brincadeiras de antigamente”, que a Associação Classista de Educação e Esporte da Bahia (ACEB) acaba de lançar. Uma oficina gratuita de construção de pipas será a primeira ação do projeto “e servirá como um instrumento de socialização e de estímulo ao aprendizado”, resumiu a Presidente da ACEB, Marinalva Nunes. Posteriormente, a entidade pretende promover um grande Festival de Pipas em Salvador.

A primeira oficina será realizada na Praia do Flamengo nos dias 20 e 21 de outubro, a partir das 9 horas da manhã, com o apoio da Barraca Pipa. Crianças de 6 a 14 anos de idade, moradoras do Litoral Norte de Salvador e de Lauro de Freitas poderão participar, mediante inscrição prévia, que pode ser feita, através deste link:https://acebqualifica.org.br/inscricao-na-oficina-de-pipas/. As vagas são limitadas. Além da carteira de identidade da criança e da mãe ou pai que for acompanhá-la, é preciso apresentar comprovante de residência e de matrícula escolar no dia do evento.

Antes da oficina, as crianças participarão de um café da manhã oferecido pelo Projeto. Em seguida, elas receberão instruções sobre como empinar pipas, com um alerta especial para a utilização responsável do brinquedo, que inclui a abolição total do uso de tempero, cerol ou similares. As criações mais criativas serão premiadas. Além disso, as pipas, construídas pelos participantes com o material fornecido pelo projeto, permanecerão com seus criadores após o evento.

“Este será um projeto-piloto da ACEB, mas nós pretendemos desenvolver outros com o mesmo propósito: resgatar alguns dos jogos e brincadeiras do passado, oferecendo lazer através da vivência e integração, características de brincadeiras de crianças de antigamente”, ressaltou Marinalva. Além de ser um instrumento de envolvimento das crianças que moram na região de transição entre Salvador e Lauro de Freitas, a atividade lúdica proposta pela ACEB servirá para integração entre a criança, sua família e demais membros da comunidade.

Estímulo à criatividade – Empinar arraia (pipa), pular corda, amarelinha, pega-pega, esconde-esconde, baleado e pular elástico são algumas das muitas brincadeiras que fizeram a alegria das crianças de todo o Brasil durante décadas. Em todas elas, a criatividade é um elemento-chave. Sobre este aspecto, o diretor administrativo da ACEB, Emanuel Rodrigues, destaca que “antigamente, a reduzida disponibilidade de brinquedos prontos e a ausência de eletrônicos faziam as crianças soltar a imaginação e inventar brincadeiras, construindo os próprios brinquedos. Bastava alguns riscos de giz no chão para fazer uma amarelinha e garantir uma tarde toda de diversão”, frisou.

As brincadeiras desempenham um papel fundamental no desenvolvimento das crianças. “Brincar ajuda os pequenos a aprender importantes conceitos, tais como cooperação, partilha, trabalho em equipe, perder e ganhar e ter respeito pelos colegas”, lembra Emanuel. Porém, nas últimas décadas, as brincadeiras mudaram drasticamente. Os brinquedos simples cederam espaço para as inovações tecnológicas e as brincadeiras antigas transformaram-se em jogos de videogame, smartphones e tablets. Para fazer uma contraposição positiva a esta realidade e ressignificá-la, a ACEB decidiu propor um resgate de brinquedos como a pipa, que tem uma grande relevância histórica.

A pipa – Originada na China antiga e costume tradicional das crianças da Bahia, a pipa é um brinquedo de fácil e rápida fabricação, que voa baseado na oposição entre a força do vento e a corda segurada por seu operador. Ela é formada por uma estrutura rígida de bambu ou plástico, armada com linhas e fitas adesivas, capaz de suportar um corpo plano de papel, pano ou plástico que assume a função de asa e a sustenta. Geralmente, as pipas contêm uma rabiola, que é um adereço colorido feito de cordão, fitas plásticas finas ou papel, que fica preso na parte inferior do brinquedo para proporcionar estabilidade.

Mais informações para a imprensa podem ser obtidas com a jornalista Carla Santana pelo telefone (71) 99926-6898

Share Button