Polícia faz operação contra milicianos do Escritório do Crime

O Mad foi preso em Vila Valqueire (Reprodução/TV Globo)

Justiça expediu quatro mandados de prisão

A Polícia Civil e o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) realizaram no início desta terça-feira 30/VI a Operação Tânatos, contra denunciados por chefiar o Escritório do Crime, grupo formado por milicianos e investigado por diversos homicídios, como os da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e de seu motorista, Anderson Gomes.

O Escritório do Crime foi comandado por Adriano da Nóbrega, miliciano que empregou mãe e irmã no suposto esquema de “rachadinha” no gabinete de Flávio Bolsonaro em seus tempos de deputado estadual na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

O juiz Bruno Rulière, da 1ª Vara Criminal Especializada, expediu quatro mandados de prisão e 20 de busca e apreensão. Até agora, foram presos os irmãos Leandro e Leonardo Gouvêa da Silva – o Tonhão e o Mad.

O MP afirma que os denunciados possuíam ligação estreita com Adriano. Segundo as investigações, pistoleiros da quadrilha praticam execuções por encomenda há mais de 10 anos.

“Fortemente armados e com trajes que impedem identificação visual, tais como balaclava e roupas camufladas, os atiradores desembarcam do veículo e progridem até o alvo executando-o sem chances de defesa”, afirmam os promotores.

Conversa Afiada