Ponte desaba e acidente na Ilha de Bom Jesus é tragédia anunciada

Foto: Divulgação

O descaso com os equipamentos náuticos e a irresponsabilidade de donos de embarcações e tripulantes somam elementos para uma nova tragédia na Baía de Todos os Santos. No domingo (08) a escuna Serenget 281-890969-4 atracou na cabeceira da ponte na Ilha de Bom Jesus dos Passos, que está interditada desde o dia 30 outubro, porque parte dela desabou, e, ignorando as placas de sinalização que apontavam para riscos, desembarcaram da mesma mais de 100 pessoas, todas sem máscaras, em meia a pandemia do Corona Vírus.

Moradores idosos se refugiaram dentro de suas casas, porque o grupo começou a fazer tanta balbúrdia que assustou todos que estavam nas proximidades. “Ninguém usava máscara. Eu sou idosa, não posso arriscar”, disse uma delas. Alguns comerciantes fecharam as portas. “Parecia uma invasão, igual acontece em filmes. Não vou mentir, fechei tudo”, descreveu um dono de bar. “Eles bebiam, fumavam maconha sem a menor cerimônia. Os homens urinavam na rua. Quem age assim não está preocupado com o perigo da ponte desabar ou mesmo contrair o Corona Vírus, mas nós que vivemos aqui nos preocupamos muito”.

Outro habitante da pequena ilha, que viu toda a cena disse que não acreditou quando viu a tripulação atracar na cabeceira da ponte. “Uma irresponsabilidade, não respeitou a placa que fala do perigo e da interdição. Quem é do mar sabe do acidente que derrubou parte da escada e mesmo assim, deixou que 100 pessoas ficassem em cima de um equipamento que está ameaçando despencar sobre o mar”, disse, pedindo para não divulgar seu nome. “Deu.medo ver tudo aquilo”.

“Não podemos proibir que embarcações encostem na ponte quebrada. Temos apenas dois policiais para fazer a segurança de toda a ilha, em cada plantão”, disse Ana Lessa, preposto da prefeitura de Salvador.

Várias denúncias foram feitas na Capitania dos Portos e na Marinha. A obra da ponte da Ilha de Bom Jesus dos Passos está incluída no pacote de investimentos do Prodetur, com valor de R$ 2,4 milhões, com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e responsabilidade da Secretaria de Turismo da Bahia (Setur).

A licitação ocorreu em fevereiro passado, mas até o momento não há informações em relação ao início das obras.

4 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui