Primeiro-ministro italiano Giuseppe Conte renuncia, diz presidente da Itália

© Sputnik / Mikhail Klimentiev

O primeiro-ministro italiano Giuseppe Conte apresentou pedido de renúncia ao presidente Sergio Mattarella, que lhe propôs o contínuo do desempenho de suas funções como premiê.

Nesta terça-feira (26), o primeiro-ministro da Itália Giuseppe Conte apresentou pedido de renúncia ao presidente Sergio Mattarella.

“O presidente tirou um tempo para tomar decisão e propôs ao governo o desempenho de suas funções correntes”, de acordo com o comunicado do Palácio presidencial do Quirinal.

A conversa entre Conte e Mattarella durou cerca de meia hora.

O presidente Mattarella dará início a consultas com líderes dos partidos parlamentares na quarta-feira (27) para procurar saída da crise governamental atual, segundo anunciou seu gabinete.

Conte recebeu pedido para continuar desempenhando suas funções enquanto ocorrerem as consultas.

Veículos de imprensa italianos informaram que Conte realizará uma coletiva de imprensa ainda nesta terça-feira (26). Depois surgiu a informação de preparação de uma mensagem gravada em vídeo. Fontes do Palácio governamental Chigi em Roma não confirmam nenhum dos cenários.

Anteriormente, surgiram informações de que Conte renunciaria devido à crise política italiana. A crise começou quando o partido Itália Viva anunciou a saída de seus representantes do Conselho dos Ministros.

A saída do Itália Viva fez com que, sem votos do partido, a coligação atual deixasse de ser a maioria no Parlamento italiano. Seus representantes principais, Movimento 5 Estrelas e Partido Democrata, já anunciaram apoio à candidatura de Conte para terceiro mandato.

Na semana passada depois da renúncia dos ministros do partido Itália Viva, o governo italiano ganhou a confiança em ambas as câmaras do Parlamento. No entanto, no Senado não conseguiu ter a maioria absoluta, gerando, assim, dúvidas sobre o futuro do governo em uma das próximas reuniões.

Observadores locais sugerem que a decisão de renúncia de Conte esteja ligada à votação planejada no Senado sobre o relatório do ministro da Justiça Alfonso Bonafede, que pertence ao partido Movimento 5 Estrelas. Em condições de maioria absoluta, o Senado poderia votar contra depois do comunicado do ministro.

Além disso, a semana passada mostrou que a coligação governamental não obteve apoio entre os parlamentares da oposição, que estavam prontos para apoiar a maioria atual, o que também levou à renúncia de Conte.

 

Fonte: Sputnik Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui