Regina Duarte é exonerada do comando da Secretaria de Cultura

BRASIL

A exoneração da atriz Regina Duarte do comando da Secretaria de Cultura do governo Bolsonaro foi publicada na edição desta quarta-feira (10) do Diário Oficial da União.

A exoneração, publicada em uma edição extra do Diário Oficial da União, ocorreu após três meses no cargo.

O decreto, assinado pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo ministro do Turismo, Marcelo Henrique Teixeira Dias, confirma o anúncio feito por Bolsonaro no dia 20 de maio, conforme o portal G1.

De acordo com anúncio feito por Bolsonaro, a atriz Regina Duarte assumiria a Cinemateca Brasileira, em São Paulo, que é a instituição responsável pela preservação da produção audiovisual brasileira, sendo vinculada à Secretaria de Cultura.

Atriz Regina Duarte fala com jornalistas após almoço com o presidente Jair Bolsonaro, em Brasília, em 3 de março de 2020
© FOLHAPRESS / PEDRO LADEIRA
Atriz Regina Duarte fala com jornalistas após almoço com o presidente Jair Bolsonaro, em Brasília, em 3 de março de 2020

Com a missão de “pacificar” o impasse entre a classe artística e a indústria da cultura com o governo federal, Regina Duarte assumiu a pasta no dia 4 de março, quando substituiu Roberto Alvim, que deixou o comando após fazer referências nazistas em um discurso.

Apesar dos elogios de Bolsonaro, o presidente estava descontente com o fato de Regina Duarte estar distante, já que a atriz estava trabalhando pela Internet, em São Paulo. Além disso, o presidente também enfrentava dificuldade em lidar com questões de “ideologia de gênero“.

Segundo o portal R7, o ator Mario Farias teria sido convidado para substituir Regina Duarte na chefia da Secretaria de Cultura.