Suíca pede que prefeitura reative plataforma de acolhimento e amplie atendimento psicológico gratuito

Foto: Divulgação

Ampliação do atendimento psicológico gratuito em Salvador. A indicação é do vereador Luiz Carlos Suíca (PT), que encaminhou ofício para a prefeitura da capital pedindo a reativação da plataforma ‘Psiu Acolhimento’. O edil petista enfatiza a ampliação do quadro de profissionais para atender grupos em situação de vulnerabilidade, além de trabalhadores, estudantes e a todos que precisarem do serviço. Essa indicação foi encaminhada ao Executivo no início desta semana.

“É fundamental esse apoio psicológico online e gratuito para a população, principalmente por causa dos efeitos provocados pelo enfrentamento ao coronavírus, que envolve restrição de mobilidade com isolamento social, e são enormes para os cidadãos. E temos três casos marcantes recentes que aconteceram em Salvador, a morte de um motoboy atropelado, a de um policial e a de uma criança. São tragédias sociais que abalam famílias e grupos inteiros”, salienta Suíca. Os casos citados pelo petista se somam a outros que chocam a população do país, que já sofre com a morte diária de quase quatro mil pessoas por covid-19.

“Chegamos a um ano de pandemia com um caos na saúde, todo dia morrendo mais de 3,5 mil pessoas, são muitas vidas perdidas para o negacionismo. Um serviço dessa espécie é de fundamental importância para garantir um auxílio psicossocial para jovens de baixa renda, inclusive. O serviço foi suspenso, deixando desassistida uma quantidade significativa de jovens que eram atendidos. Nesse período de pandemia mais jovens de baixa renda provavelmente utilizariam o serviço caso estivesse ativo”, pontua Suíca. Para o vereador, a modificação da rotina por causa do isolamento social para amenizar o caos na saúde causou nas pessoas ansiedade, tristeza e até mesmo depressão.

Como proposto inicialmente pela prefeitura de Salvador, para acessar a plataforma ‘Psiu Acolhimento’ era preciso realizar um breve cadastro para acessar a lista de profissionais disponíveis. Apenas maiores de 18 anos podiam ser atendidos e o serviço funcionava 24 horas por dia com profissionais contratados e voluntários. Os acolhimentos eram todos realizados por videochamada e média de 20 minutos de duração. Todos os psicólogos cadastrados possuíam registro no Conselho Regional de Psicologia (CRP).

Ascom do Vereador Luiz Carlos Suíca

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui