Vice de Bolsonaro ataca 13º salário e defende fim da estabilidade no serviço público

Postado em 27/09/2018 14:33 - Atualizado em: 27/09/2018 14:33
Share Button
© Foto : Divulgação

O candidato a vice-presidente na chapa de Jair Bolsonaro (PSL), general Hamilton Mourão, participou em um ato de campanha em Bagé (RS) na última quarta-feira (26) à noite e defendeu o fim da estabilidade no serviço público. Na véspera, ele havia criticado o 13º salário e o pagamento de adicional de férias.

No evento que participou na quarta-feira, Mourão criticou a estabilidade garantida pelos serviço público e defendeu uma aproximação do serviço público com o privado.

“Por que uma pessoa faz um concurso e no dia seguinte está estável no emprego? Ela não precisa mais se preocupar. Não é assim que as coisas se comportam. Tem que haver uma mudança e aproximar o serviço público para o que é a atividade privada”, disse Mourão em Bagé, citado pelo jornal Zero Hora.Já na terça-feira, ao realizar uma palestra na Câmara de Dirigentes Lojistas de Uruguaiana (RS), o candidato a vice de Bolsonaro defendeu uma “implementação séria da reforma trabalhista”, atacando direitos como o 13º salário e o pagamento adicional de férias. De acordo com ele, os direitos trabalhistas são “jabuticabas”.

“Temos algumas jabuticabas que a gente sabe que é uma mochila nas costas de todo empresário. Jabuticabas brasileiras: 13º salário. Se a gente arrecada doze, como é que nós pagamos treze? É complicado, e é o único lugar em que a pessoa entra em férias e ganha mais, é aqui no Brasil. São coisas nossas, a legislação que está aí, é sempre aquela visão dita social, mas com o chapéu dos outros, não é com o chapéu do governo”, afirmou Mourão, citado pela revista Veja.

O núcleo da campanha de Bolsonaro chegou a orientar uma participação mais discretado general Mourão para evitar declaração polêmicas e um desgaste da campanha, tendo em vista que o presidenciável Jair Bolsonaro ainda se encontra hospitalizado se recuperando do atentado a faca que sofreu.

Share Button