Zé de Jesus Barreto: tem samba no céu e corona vírus na terra

 

Soube, há pouco,

que nosso Riachão se foi.

Desaguou inteiro no mar

da eternidade.

Sambando.

98 anos de bom viver.

Que Caymmi, João, Jorge,

Batatinha, Panela, Ederaldo …

o recebam em festejos

no Orum.

Um riachão de alegria.

 

**

Tempos de coronavírus

 

– Não, não é de  hoje

e brancos fedorentos chegaram pelos mares

invadindo nossas matas, nossas mentes

com suas armas e seus deuses letais

E inocularam seus males e dizimaram

aldeias e bichos e nações nativas

a bala, palavras, medo e vírus

 

**

 

– dá pra rir ? :

 

Tá, não pode coçar o olho,

roer unhas meter dedo no nariz …

Já o saco e o fiofó …

 

*

Confinado, o coroa:

– Quero meu vírus !

 

*

Aos 72, não é quarentena, é setentena.

Nesse confinamento, já rompi relações comigo.

Tou de mal de mim.

 

(parceria com Alex Ferraz, à distância)

*

– Sonambulando

 

Sonhei que acordava e tudo tinha voltado ao normal.

Ruas movimentadas, bares e praias cheias, noites animadas

Música, dança, teatro, cinema, espetáculos, reencontros

E a bola quicando na tela da tevê, arquibancadas em festa.

Beijos, abraços, gestos de ternura…

A vida rebrotando.

Eu tive um sonho.

*

30março2020, o ano em que um tal de coronavírus virou pelo avesso o planeta terra.

**

Zédejesusbarreto, jornalista por condenação, escrevinhador por fado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui