Em novos ares, Roger Cipó estreia como apresentador do programa “Preto à Porter”

Foto: André Lucas/UOL

O comunicador integra o time de apresentadores do projeto que abordará diversos temas, tendo como centro a cultura negra

Apresentador, escritor, influenciador digital, fotógrafo e comunicador, Roger Cipó toma novo fôlego na carreira, com a apresentação do próximo programa “Preto à Porter”, criado e dirigido por Rodrigo Pitta, que será exibido no Youtube, podendo ser acessado de qualquer lugar do mundo, previsto para estrear nesta terça-feira (24). Acostumado a ter sua voz ecoada através da internet, o paulistano, de 30 anos, integra o time de apresentadores que vão trazer para o centro da conversa, assuntos relacionados à arte, cultura e ao cotidiano da população negra, no Brasil.

Empolgado com o novo projeto na sua trajetória profissional, Cipó, que foi convidado no fim do ano passado pela direção e produção, comemora. “O programa coloca, no centro das narrativas, questões do universo negro por meio da música, entretenimento, família, herança, trabalho, ancestralidade, economia, cultura, entre outras temáticas”, ressaltou.

Ao lado de Hélio de La Peña, Caroline Sodré e Loo Nascimento, o apresentador pretende com o programa alcançar novos lugares na comunicação. “É fundamental naturalizar as nossas presenças nas plataformas de streaming e na comunicação em geral. Estar na apresentação do ‘Preto à Porter’ me traz a possibilidade de trocar e dialogar, a partir de nossos lugares para o mundo, fazendo com que as pessoas se vejam no nosso sofá, como diz o trecho ‘Eu me vejo sempre em você’, da música de abertura do programa, composta pelo grupo musical ‘Os Gilsons’, formado por filhos e netos do cantor e compositor Gilberto Gil, que é um dos convidados”, pontua.

Atento e consciente, Cipó, que teve sua consciência forjada por organizações do movimento negro brasileiro, é um dos grandes nomes da nova geração na luta contra o racismo e na defesa dos direitos da população negra. Por meio de suas redes sociais, está sempre pautando assuntos sobre as experiências de pessoas negras, mobilizando ações de fortalecimentos da comunidade e, compartilhando, dicas de cuidado, beleza e moda.

Experimentando novos ares na sua jornada, Cipó, que no ano passado foi considerado pela revista internacional ‘Wired’ como uma das 50 pessoas que transformaram a criatividade, no Brasil, está otimista para este trabalho. Ele, que por longo tempo esteve por trás das câmeras, hoje tem as melhores expectativas para mais um desafio: apresentar. “Isso para mim é um momento valioso, porque amplia a minha atuação como comunicador. Eu vinha construindo esse caminho e passando por todos esses campos, primeiro como fotógrafo que sou de formação, depois produzindo comunicação institucional, elaboração para as produções de conteúdo, o livro que lançarei em breve e, por aí vai… Essa trajetória é o que me preparou para me tornar esse apresentador”, salientou Cipó, que pretende investir cada vez mais nessa área nos próximos anos e fazer parte de um movimento que trabalha para inovar a comunicação do país que tem 56% de população negra, mas não se vê nas apresentações de programas e outros conteúdos de entretenimento.

Sobre o que esperar dele neste projeto, Roger Cipó declara. “É uma possibilidade de conhecer um comunicador para além das redes sociais, que também fala sobre anseios e pautas importantes do nosso cotidiano. Pretendo marcar mesmo esse lugar do entretenimento e de uma série documental, falando da importância e naturalização da estética, beleza e visibilidade negra, mudando esse cenário para que outros jovens negros, também sonhem com a comunicação. Em busca de novos sonhos de pessoas negras a serem realizados”, revelou.

E completa dizendo: “A gente precisa obviamente de mais apresentadores, diretores, roteiristas e comunicadores negros em todos os lugares. Estou aqui, hoje, como mais um pertencente a um movimento que luta para reelaborar, readequar e organizar essa sociedade, redistribuindo os papéis e lugares que são importantes. Eu já me movimento dessa forma na internet há anos e, assim, seguirá sendo, só que agora, por uma outra escala”, conclui.