Além da xenofobia, a inveja, fruto da incompetência

Por Edilson Veloso
Quando Jorge de Jesus assumiu o Flamengo, em 2019, era então apenas mais um técnico. Mas o Mister deu ótimos resultados.
Foram vários títulos. Isso foi o bastante para parte da crônica esportiva começar uma série de ladainhas sobre profissionais estrangeiros. Alguns técnicos brasileiros, ultrapassados também entraram como isca e começaram a falar asneiras. É óbvio que contra fatos não há argumentos.
Mas foi um monte de gente praticando xenofobia e outra parte com dor de cotovelo. O Flamengo da recente era J.J. deu sim, resultados. O Mister foi embora, e de lá pra cá, o Flamengo não é sequer a caricatura daquele elenco, pelo menos em campo.
Vale lembrar que Renato Gaúcho do alto da sua bazófia chegou a declarar que aquele Grêmio era muito superior, porém, viu seu time tomar um humilhante 5 X 0 e, depois, veio dizer que até mulher grávida faria gol em sua equipe.
Depois de Jorge de Jesus, surge um jovem talento por nome Abel Ferreira, também Português, também competente e, porque não dizer excepcional?
Abel tem um talentoso elenco nas mãos, mostra além de competência, liderança num time cheio de craques, mas que ninguém aparece como estrela. A coletividade impera no time.
Agora, os agourentos tentam atirar pedras num técnico jovem, brilhante e que só quer trabalhar em paz. Todo dia se questiona o inquestionável.
O melhor é aceitar, que dói menos. O Palmeiras é uma máquina de jogar futebol; futebol alegre, objetivo e certeiro. Ao invés de procurar cizânias, deveriam, sim, louvar um profissional que não precisa provar mais nada.
Abel Ferreira é magnífico e seu time alegra o futebol.
Como absurdo é pouco, tem colunista, tipo Léo Dias (um péssimo exemplo) que agora diz estar sendo clamado a descobrir algum “podre ” de Abel. Aí, me lembro que um dia ouvi alguém dizer que ” a arma dos incompetentes é a inveja”. Santo Abel Ferreira! Sou seu Fã!