Alemanha: gasoduto russo avançará apesar das ameaças dos EUA

Tubulações para a construção do gasoduto Nord Stream 2, em Laage, nordeste da Alemanha, 15 de novembro de 2019 (Foto: AFP)

A chanceler alemã, Angela Merkel, disse que seu país concluirá o projeto do gasoduto russo Nord Stream 2, apesar das tentativas dos EUA de bani-lo.

Em visita na terça-feira à cidade de Stralsund, no nordeste do país, Merkel mais uma vez rejeitou as sanções impostas por Washington a entidades associadas ao projeto Nord Stream-2 do Mar Báltico que, uma vez concluído, entregará gás natural à Alemanha. e o mercado europeu em geral.

Não consideramos legais essas sanções extraterritoriais, ou seja, aquelas que extrapolam o território dos Estados Unidos, enfatizou o chanceler alemão, para posteriormente garantir que esse megaprojeto seja construído apesar das sanções de Washington.

A este respeito, o canal MDR, confirmando as declarações de Merkel, anunciou que o Governo alemão “pretende concluir a construção” do gasoduto Nord Stream, seja ele qual for.

Em agosto, o governo dos Estados Unidos, liderado por Donald Trump, ameaçou aplicar sanções contra os operadores de um porto alemão envolvido na construção do gasoduto Nord Stream 2, que tem como objetivo levar gás natural da Rússia para a Alemanha.

Anteriormente, o chefe da Comissão de Economia e Energia do Parlamento alemão, Klaus Ernst, havia denunciado que as medidas de Washington em relação a este projeto “constituem uma interferência na soberania da Alemanha e da União Europeia (UE)”.

Nord Srtream 2, que é a segunda conexão do gênero entre a Rússia e a Alemanha – após a abertura da primeira em 2011 – tem capacidade para transportar cerca de 55 bilhões de metros cúbicos de gás por ano.

A Casa Branca se opõe ao megaprojeto, afirmando que o gasoduto aumentaria a influência da Rússia na Europa em um momento de crescente tensão entre as duas potências.

A Rússia, por sua vez, rejeita a pressão dos EUA e descreve essas ameaças como uma tentativa de forçar os europeus a comprar gás liquefeito dos EUA.

 

HISPANTV