Biden diz que oferecerá cooperação ao ‘adversário digno’ Putin

© AP Photo / Olivier Hoslet

“Ele é brilhante, é duro e descobri que ele é […] um adversário digno”, foi assim que o presidente dos EUA, Joe Biden, caracterizou Vladimir Putin, o seu homólogo russo, durante coletiva de imprensa.

Joe Biden afirmou que sua reunião de quarta-feira (16) com Vladimir Putin será “crítica” e disse que vai oferecer a Moscou a chance de cooperar em áreas de interesse comum, se o Kremlin assim decidir.

“Vou deixar claro para o presidente Putin que há áreas em que podemos cooperar, se ele quiser”, afirmou Biden após cúpula da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) em Bruxelas, citado pela agência Reuters.

O presidente norte-americano acrescentou que, caso Moscou decida não cooperar e “agir da mesma forma que no passado em relação à segurança cibernética e algumas outras atividades”, os EUA responderão “na mesma moeda”. “Deixaria claro onde estão as linhas vermelhas” para Putin também, concluiu.

Nesta segunda-feira (14), foi divulgada uma entrevista do presidente da Rússia à emissora NBC em que ele afirma que a OTAN é uma relíquia da era da Guerra Fria.

“No que diz respeito à OTAN, eu disse em muitas ocasiões, esta é uma relíquia da Guerra Fria. É algo que nasceu na era da Guerra Fria […] eu não sei bem por que ela [OTAN] continua existindo”, sentenciou.

Putin e Biden realizarão uma reunião bilateral em Genebra na quarta-feira (16) para discutir uma série de questões relacionadas ao controle de armas e segurança estratégica.

Presidente russo, Vladimir Putin, fala com o jornalista da NBC News em uma entrevista transmitida hoje (14), dois dias antes de se encontrar com o presidente dos EUA, Joe Biden. Na entrevista, Putin negou os supostos ataques cibernéticos da Rússia contra os EUA, em Moscou, 14 de junho de 2021
© AP PHOTO / MAXIM BLINOV Presidente russo, Vladimir Putin, fala com o jornalista da NBC News em uma entrevista transmitida hoje (14), dois dias antes de se encontrar com o presidente dos EUA, Joe Biden. Na entrevista, Putin negou os supostos ataques cibernéticos da Rússia contra os EUA, em Moscou, 14 de junho de 2021

Ucrânia e defesa cibernética

O presidente dos EUA afirmou que presença russa na Ucrânia não bloqueia a entrada de Kiev na OTAN, mas que o país do Leste Europeu precisa erradicar a corrupção e atender a outros critérios para ingressar na Aliança Atlântica.

“O fato é que eles ainda precisam combater a corrupção […]. Enquanto isso, faremos tudo o que pudermos para colocar a Ucrânia em posição de resistir à agressão russa […] para manter sua segurança física”, disse Biden.

O presidente norte-americano confirmou ainda que os Estados-membros da OTAN concordaram em apoiar uma nova estratégia de defesa cibernética.

“Também endossamos uma nova política de defesa cibernética, a primeira da OTAN em sete anos, para aumentar a capacidade coletiva de se defender contra ameaças de atores estatais, e não estatais, contra nossas redes e infraestrutura crítica”, destacou Biden durante a coletiva de imprensa.

Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan (C) cumprimenta o presidente dos EUA Joe Biden (D) durante sessão plenária na cúpula da OTAN em Bruxelas, segunda-feira, 14 de junho de 2021
© AFP 2021 / OLIVIER MATTHYS Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan (C) cumprimenta o presidente dos EUA Joe Biden (D) durante sessão plenária na cúpula da OTAN em Bruxelas, segunda-feira, 14 de junho de 2021

Conversa com Erdogan

O presidente norte-americano também comentou a reunião que teve com o presidente turco Recep Tayyip Erdogan.

“Tivemos uma reunião positiva e produtiva […]. Nossas equipes vão continuar nossas discussões e estou confiante que faremos progressos reais com a Turquia e os EUA”, disse Biden.

Por sua vez, Erdogan caracterizou suas conversas com Biden como “produtivas e sinceras”. “Achamos que não há problemas insolúveis entre o relacionamento dos EUA e da Turquia e que as áreas de cooperação são para nós mais ricas e maiores do que os problemas”, disse o presidente turco.

Apesar de seu tom publicamente otimista, nenhum dos dois forneceu detalhes sobre como exatamente consertariam a relação ou traçou medidas que ajudariam a aliviar as tensões entre os aliados da OTAN.

Uma área onde Erdogan esperava mostrar um papel central da Turquia na OTAN é o Afeganistão, onde Ancara se ofereceu para guardar e operar o aeroporto de Cabul após a retirada das forças dos EUA e da OTAN nos próximos meses.

O secretário-geral da Aliança Atlântica, Jens Stoltenberg, disse que a Turquia teria um papel importante, mas que nenhuma decisão foi tomada na cúpula desta segunda-feira (14).

Fonte: Sputnik Brasil