Bolsonaro diz à ONU que decisões do STF tornam nulo o processo de Lula contra Moro

Jair Bolsonaro, Lula e Sérgio Moro (Foto: ABr)

Brasil 247O governo Jair Bolsonaro mudou de tom sobre a atuação do ex-juiz parcial Sergio Moro na Lava Jato, em manifestação enviada ao Comitê de Direitos Humanos da ONU em novembro, informou a CNN.

Antes ministro da Justiça do governo que ajudou a eleger prendendo ilegalmente o ex-presidente Lula (PT), Moro agora é um inimigo político de Bolsonaro.

Bolsonaro lembrou que Moro foi declarado parcial pelo Supremo Tribunal Federal (STF) enquanto julgava os processos contra o ex-presidente Lula (PT). O presidente brasileiro também destacou que a 13ª Vara Federal de Curitiba, onde Moro atuava, foi declarada pelo Supremo incompetente para julgar os casos de Lula.

O Comitê de Direitos Humanos da ONU pautou a denúncia de Lula contra Moro e a expectativa é que a análise aconteça em maio. Mesmo com a decisão da Corte, a defesa de Lula crê que as violações aos direitos fundamentais do ex-presidente, que passou 580 dias presos ilegalmente, são irreversíveis.

Já o governo Bolsonaro diz que a ação do ex-presidente petista ficou “sem propósito”, não cabendo mais a análise da corte internacional.