Bolsonaro diz que quer ‘democracia’, mas alguns estão ‘se excedendo’

© AP Photo / Pedro Ladeira / Folhapress

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta segunda-feira (8) que quer “paz, tranquilidade, democracia” e “respeito às instituições”, “mas que “alguns estão se excedendo”.

O chefe de Estado fez a declaração ao comentar sobre a possibilidade do governo federal decretar lockdown em função da piora da pandemia do coronavírus no país. Segundo esse, isso jamais acontecerá.

“Alguns querem que eu decrete lockdown. Não vou decretar. E pode ter certeza de uma coisa: o meu Exército não vai para a rua para obrigar o povo a ficar em casa. O meu Exército, que é o Exército de vocês. Fiquem tranquilos no tocante a isso daí. Agora, vamos ver até onde o Brasil aguenta esse estado de coisas. Eu quero paz, tranquilidade, democracia, respeito às instituições. Mas alguns estão se excedendo”, afirmou Bolsonaro, segundo o jornal O Globo, a apoiadores na entrada do Palácio da Alvorada.

Diante do aumento de números de casos e mortes pela COVID-19, o que tem provocado a lotação de hospitais, diversos estados e municípios do Brasil decretaram novas medidas de restrição à circulação.

O presidente, desde o início da pandemia, critica o isolamento social como forma de combater a rápida disseminação do coronavírus, medida recomendada por especialistas e pela Organização Mundial da Saúde. Segundo ele, os efeitos da quarententa sobre a economia seria mais nocivo do que o coronavírus.

‘Derrubar o presidente’

A Frente Nacional de Prefeitos e o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) pediram recentemente para que seja adotado um toque de recolher em todo o país. Para Bolsonaro, existe um complô para derrubá-lo da presidência.

“No Japão não tem fica em casa. E é uma população, acho que talvez a mais idosa do mundo. Mas lá ninguém estava unido para derrubar o presidente. Assim é quase no mundo tudo. Raro são os países que estão aproveitando a pandemia para tentar derrubar o presidente”, disse.

 

Fonte: Sputnik Brasil