BolsoNero: governo piromaníaco a serviço do crime

Mais uma vez o contumaz mentiroso de carteirinha, presidente Jair BolsoNero falta com a verdade ao discursar nessa terça-feira (12), para os países da região amazônica. Oportunidade em que afirmou, de forma cínica, que o seu desgoverno tem demonstrado capacidade de preservar seu patrimônio ambiental e que a Amazônia não “arde em fogo”.

Então devemos entender que o que está acontecendo por lá não corresponde com a realidade dos fatos, os incêndios são virtuais e o que acontece na região são artimanhas
articuladas pelos seus desafetos políticos, com o objetivo de prejudicar o seu desgoverno prenhe de sicários.

O mais revoltante é que toda essa palhaçada aconteceu durante a realização da 2ª Cúpula Presidencial do Pacto de Letícia, presentes países da região amazônica. O mandatário miliciano garantiu que o governo brasileiro “age com “empenho” para combater focos de incêndio e desmatamento e alegou ser criticado “de forma injusta”, apontando como culpados a imprensa e governos estrangeiros.

A quem ele tenta enganar ao fazer tais afirmações descontextualizadas, só se for a se próprio. A constatação, de que grande parte da floresta amazônica permanece intacta, significa de que os nossos Estados são perfeitamente capazes de cuidar desse patrimônio com atenção aos aspectos ambientais, sociais e econômicos?

Tal alegação ou argumento utilizado quanto o fato de que a maior parte da floresta ainda se encontrar intacta, talvez se deva a exiguidade do tempo, que ainda não foi suficiente para dizima-la na sua totalidade.

Mas o que se evidencia em todo esse teatro de horrores que tem como principal protagonista o presidente. É que de tanto mentir, mesmo que em algum momento falasse a verdade, o que nunca aconteceu e não acontecerá, ninguém com a mínima sanidade mental acreditaria nele.

Também fez a afirmação de que pelo fato do Brasil ser uma potência no agronegócio tem sido o causador e alvo de todo tipo de críticas. E voltou a se utilizar de meias verdades ao citar que operação do governo brasileiro de combate a queimadas e delitos ambientais na região da Amazônia, a Verde Brasil, com ativa participação das Forças Armadas, conseguiu reduzir no mês de julho de forma substancial o grau de desmatamento, na região.

O que foi desmentido pelos dados preliminares do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), que apontaram que o desmatamento na floresta amazônica caiu no mês citado pelo governo, em contrapartida subiu no acumulado de 12 meses.

Segundo o instituto, o desmatamento na Floresta Amazônica registrou queda de 26,7% em julho na comparação com o mesmo mês do ano passado, mas subiu 34,5% no acumulado em 12 meses, se comparado com o mesmo período anterior.

*Sérgio Jones, jornalista (sergiojones@live.com)