Caças russos escoltam fragata holandesa para prevenirem violação da fronteira no mar Negro

© AP Photo / Serviço de Imprensa do Ministério da Defesa da Rússia

De acordo com o Ministério da Defesa dos Países Baixos, caças militares russos causaram uma situação perigosa no mar Negro ao voar perto da fragata HNLMS Everton.

A Força Aérea da Rússia teve que destacar caças Su-30 e Su-24 para evitar uma violação das fronteiras do país pela fragata HNLMS Everton da Marinha holandesa em 24 de junho, afirmou o Ministério da Defesa russo.

​Nesta terça-feira (29), o Ministério da Defesa dos Países Baixos acusou caças russos de constranger a fragata Everton, enquanto ela navegava pelo mar Negro na última quinta-feira (24) de junho. O Ministério afirmou que as ações dos caças contradizem “o direito de uso livre do mar”.

Por sua vez, o Ministério da Defesa russo afirmou que a fragata holandesa estava navegando em águas neutras, mas depois mudou seu curso e encaminhou-se para o estreito de Kerch, em águas russas. Dessa forma, os caças foram enviados para evitar que o navio holandês violasse a fronteira russa.

Ainda de acordo com o Ministério da Defesa russo, logo depois que os caças voaram próximo da fragata pelo Everton, a embarcação mudou de curso. Por fim, foi enfatizado que os caças agiram conforme o direito internacional e mantiveram uma distância segura do navio holandês.

Destróier HMS Defender, Type 45, da Marinha Real britânica, filmado de um avião militar russo no mar Negro, em 23 de junho de 2021
© REUTERS / MINISTÉRIO DA DEFESA DA RÚSSIA / HANDOUT Destróier HMS Defender, Type 45, da Marinha Real britânica, filmado de um avião militar russo no mar Negro, em 23 de junho de 2021

Atividade intensa no mar Negro

Na quarta-feira (23), a Frota do Mar Negro e o Serviço de Fronteira do Serviço Federal de Segurança da Rússia interromperam a violação da fronteira nacional russa pelo destróier britânico HMS Defender.

Um caça-bombardeiro Su-24M lançou quatro bombas OFAB-250 na direção do movimento do destróier como aviso, segundo comunicado do Ministério da Defesa russo na ocasião.

Em 14 de junho, dois navios de guerra da Organização do Tratado Norte (OTAN) armados com mísseis guiados ingressaram no mar Negro. Eram o destróier HMS Defender da Marinha britânica e a fragata HNLMS Everton da Marinha holandesa.

Fonte: Sputnik Brasil