Cacique Raoni é internado com covid-19

Raoni ganhou visibilidade internacional na década de 1980 em sua luta pela preservação dos povos indígenas e da Amazônia

Líder caiapó, de 89 anos, apresentou sintomas de pneumonia e exames confirmaram infecção pelo novo coronavírus. Estado de saúde do cacique é descrito como bom.

 DW   

O cacique caiapó Raoni Metuktire, de 89 anos, foi diagnosticado com covid-19 e está internado num hospital em Sinop, no Mato Grosso, informou nesta segunda-feira (31/08) o Instituto Raoni. Apesar de apresentar sintomas de pneumonia, o estado de saúde do líder indígena foi descrito como bom.

“Após um mês de alta, Raoni foi novamente internado com sintomas de pneumonia. Exames realizados e sorologia confirmaram covid-19. Seu estado é bom, sem febre, respirando normalmente e sem ajuda de oxigênio”, disse o instituto, em nota divulgada no Twitter, apontando que exames apontaram a presença de anticorpos contra a doença e que o cacique está fora de perigo.

Segundo o portal G1, a equipe médica do Hospital Dois Pinheiros confirmou que o cacique teve covid-19 e que exames mostram a presença de anticorpos contra o coronavírus.

Líder da etnia kayapó, o cacique ganhou visibilidade internacional no final da década de 1980 em sua luta pela preservação dos povos indígenas e da Amazônia. Recentemente, ele esteve internado após a apresentar um quadro depressivo devido à morte de sua esposa Bekwyjkà Metuktire, em junho.

No ano passado, Raoni realizou uma turnê pela Europa para denunciar ameaças à Amazônia devido à política ambiental do presidente Jair Bolsonaro. Durante a viagem, o líder indígena passou por Paris, onde se reuniu com o presidente francês, Emmanuel Macron, Bruxelas e Luxemburgo. De Cannes, o líder seguiu para Itália e Vaticano, onde foi recebido pelo papa Francisco.

CN/ots