China, ao lado da Venezuela, pede aos EUA para suspender as sanções

Sede da estatal China National Electronics Import and Export Corporation (CEIEC, por sua sigla em inglês). Foto: HISPANTV

A China reafirma seu apoio à Venezuela e exorta os EUA a suspender as sanções impostas a uma empresa chinesa por fornecer serviços ao governo de Maduro.

Na segunda-feira, em nota o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos explicou que a ação coercitiva contra a estatal China National Electronics Import and Export Corporation (CEIEC) se deve ao fato de “ter fornecido software, treinamento e experiência técnica para as entidades governamentais da Venezuela ”que usam esta tecnologia para“ minar a democracia ”.

Em reação, a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Hua Chunying, em seu encontro com a imprensa nesta terça-feira, classificou as sanções contra a CEIEC de “ilegais” e instou Washington a “retificar seu erro” de ter politizado o Cooperação Pequim-Caracas, que segue padrões internacionais.

“A China tomará as medidas necessárias para proteger os direitos legítimos de suas empresas” , deixou claro Hua, enquanto notava ” o apoio da China aos esforços dos venezuelanos para defender sua soberania “.

Por sua vez, o Ministério das Relações Exteriores da Venezuela, em nota, qualificou de “ilegais” essas sanções norte-americanas e garantiu que elas mostram a “incessante obsessão” dos Estados Unidos “por desestabilizar a sociedade venezuelana”.

“A elite dirigente de Washington, que tanto se orgulha de defender a liberdade de imprensa e o livre comércio, ataca empresas internacionais que prestam serviços ao Estado venezuelano”, disse o Ministério das Relações Exteriores do país sul-americano.

Os Estados Unidos, ataca a nota venezuelana, tomam essas medidas “com o objetivo desumano de isolar o país e criar dificuldades para a população venezuelana (…) O governo [Nicolás Maduro] continuará a demonstrar que não se intimidará com nenhuma ação, por mais perverso que seja, saberá cumprir com as suas responsabilidades ”, lê-se no texto publicado nesta segunda-feira.

O governo dos Estados Unidos, principalmente desde a chegada de Donald Trump à Casa Branca, intensificou sua pressão contra Caracas com o objetivo de derrubar Maduro.

O Governo de Pequim denunciou repetidas vezes os planos de golpe promovidos por Washington contra a nação caribenha e manifestou, como agora, seu apoio à Venezuela diante da ingerência externa em seus assuntos.

 

Fonte: HISPANTV

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui