Com a presença de dirigentes e parlamentares, profissionais do coletivo “Médicos pela Democracia” se filiam ao PT Bahia

Foto: Jeferson Peixoto/ Divulgação

Com a presença de dirigentes e parlamentares do Partido dos Trabalhadores da Bahia, como Rosemberg Pinto, Maria Marighella e o deputado federal Jorge Solla, dentre outros, médicos e médicas do coletivo “Médicos pela Democracia” se filiaram ao PT Bahia na noite desta segunda-feira, 22. O ato de filiação “Todos Juntos pela Saúde e pela Democracia”, que ocorreu no restaurante Armazém, no bairro da Saúde, demonstra a união de forças do Partido e da classe médica e trabalhadora em defesa do SUS e para que a Bahia continue investindo mais em saúde e na melhoria da qualidade de vida da população.

“É muito importante e mais do que nunca neste momento que médicos e médicas venham para o PT trazendo toda a sua experiência e seu compromisso para que possamos, no próximo ano, voltar a sorrir em nosso país, trazendo o presidente Lula e o governador Jaques Wagner. Então, é fundamental contarmos com esses companheiros e companheiras valorosas, num momento difícil de atuação para a área de saúde em que temos muitos desafios e ainda estamos vivendo uma crise sanitária de gigantescas proporções”, afirmou o deputado federal e ex-secretário de saúde, Jorge Solla.

O senador e pré-candidato do PT ao Governo do Estado, Jaques Wagner, que participou do evento de forma virtual, também ressaltou a importância da filiação dos profissionais da saúde. “Um ato importante de filiação de vários médicos e várias médicas ao Partido dos Trabalhadores, principalmente nesse momento que antecede as eleições de 2022, que são eleições fundamentais para nós e vocês da área de saúde sabem muito bem do que venho falando, que é o tratamento dado pelo Governo Federal à questão da pandemia da Covid 19. Quantos brasileiras e quantas brasileiras poderíamos ter poupado as suas vidas se não fosse a irracionalidade desse governo de querer ficar fazendo ideologia com saúde, negando a vacina, dando uma de médico, receitando remédio. Então, acho que nesse momento é extremamente importante, então queria dizer que sejam todos bem-vindos”.

O presidente do Partido dos Trabalhadores da Bahia, Éden Valadares, foi outro que destacou, também de forma virtual, a contribuição dos novos filiados para a luta do Partido. “É uma alegria, principalmente, neste momento que a gente enfrenta tanto negacionismo da ciência e do conhecimento humano ter uma filiação dessa qualidade, desses companheiros e companheiras, reafirmando esse e projeto do PT, de Wagner, de Rui e de Lula”, disse Éden.

Filiação – A diretora-geral do Hospital Couto Maia, a infectologista Ceuci Nunes, destacou que sua decisão de se filiar ao PT partiu da necessidade de se posicionar neste momento de grave crise política, econômica, social e sanitária que o Brasil enfrenta com a gestão de Jair Bolsonaro. “Alguns médicos entraram em um discurso contra o programa Mais Médicos, contra o PT, contra a presidenta Dilma, e muitos deles viraram bolsonaristas, e uma filiação a um partido com o PT dá uma organicidade maior à minha participação política, para discutir internamente as questões da saúde, levar as questões da saúde para discussão na categoria médica e entre os profissionais de saúde e, principalmente, por causa do momento difícil que estamos vivendo, com ascensão do fascismo, com uma ameaça muito séria ao SUS. Eu vim para o PT para entrar na militância da defesa do SUS”.

A médica e professora de medicina da Universidade Federal Lorene Pinto afirmou que os partidos políticos são importantes instrumentos para promover mudanças e que sua escolha pelo PT, legenda com a qual sempre foi simpatizante, parte deste princípio. “Neste momento, o país precisa de posições mais firmes, até para desmistificar essa desqualificação de partido político que vimos nos últimos anos. Precisamos entrar, fortalecer e qualificar os partidos porque é via partido que vamos fazer mudanças, porque os movimentos organizados são caminhos importantes para estruturar mudanças. Foi uma decisão que tomamos enquanto coletivo, porque foi para isso que formamos o ‘Médicos pela Democracia’, exatamente para se posicionar de forma diferente dentro da nossa categoria”, afirmou.

O evento de filiação de médicos e médicas contou também com a participação do presidente do PT Salvador, Ademário Costa, do vereador Edvaldo Brito (PSD), do primeiro-secretário do Partido Socialista Brasileiro (PSB) na Bahia, Rodrigo Hita e do deputado estadual Alan Castro (PSD), dentre outros.

 

Ascom PT Bahia