Com recuperação lenta, Brasil deve retroceder ao PIB de 2016

Projeção da FGV mostra que, mesmo com alta de 2,5% do PIB em 2021, economia estaria no nível de cinco anos antes. Recuperação é afetada por deterioração do mercado de trabalho, endividamento das empresas e instabilidade.

Mesmo com a previsão de uma alta do Produto Interno Bruto (PIB) da ordem de 2,5% em 2021, a economia brasileira deverá fechar o próximo ano num nível parecido ao de 2016, segundo projeção da Fundação Getulio Vargas (FGV). Em termos de PIB per capita, o retrocesso seria ao patamar de 2009. Na previsão da Tendências Consultoria, o país só atingirá o PIB pré-pandemia em 2023.

A recuperação dos danos econômicos que vieram na esteira da pandemia, dizem economistas, deve começar a aparecer já neste ano, com altas do PIB no terceiro e no quarto trimestres, puxadas pelo consumo interno.

Mas esse caminho será lento e com desafios, entre eles a deterioração do mercado de trabalho e a dificuldade de atração de investimentos externos diante do cenário de incerteza político-institucional e com impacto importante também da questão ambiental, que ameaça acordos comerciais e investimentos.

Economistas já dão como certo que 2020 será o ano com a pior queda de PIB desde 1900, quando começa a série histórica. Se a crise é grave no mundo todo, no Brasil ela se torna ainda mais dramática porque o país não havia se recuperado completamente da crise anterior e tem um contexto de famílias e empresas endividadas e situação frágil no mercado de trabalho.

As projeções variam muito: para o governo brasileiro, a estimativa é de queda de 4,7% neste ano e de alta de 3,2% no próximo. Há três semanas, o Fundo Monetário Internacional (FMI) reviu a previsão de recuo deste ano de 5,3% para 9,1%, com perspectiva de 3,6% de alta no ano que vem. O mercado espera uma queda de 6,1%, segundo a última consulta feita pelo Banco Central, e alta de 3,5% em 2021.

De forma geral, há consenso entre os economistas de que foi acertada a medida aprovada pelo Congresso que concedeu auxílio emergencial de R$ 600 para os mais vulneráveis. Sem isso, dizem, a catástrofe seria ainda maior. Mas, agora, o governo precisa se equilibrar entre os gastos sociais e o aumento da dívida pública. Além disso, há críticas a respeito da instabilidade política e da condução das políticas de contenção da própria pandemia, que acabam afetando também a retomada.

Comércio e indústria reagem

Na última semana, dados do IBGE mostraram uma melhora do varejo e da indústria em maio, que vieram com resultados acima do esperado, mas que refletem em parte a base de comparação muito deteriorada de abril, quando a economia afundou. Os serviços, no entanto, que respondem por 70% do PIB e mais da metade dos empregos, ainda sofrem.

“Realmente, o pior foi em abril, os dados de maio já mostram uma melhora em relação a abril, mesmo estando negativos em relação ao ano passado, até melhor do que o mercado esperava, o que é um pouco reconfortador”, afirma o coordenador do Centro Macro Brasil da FGV, Marcelo Kfoury Muinhos. “Está crescendo um pouco a perspectiva de que pode haver uma recuperação em V, com queda significativa no segundo trimestre, mas já no terceiro um crescimento entre 2% e 3%”.

Mas nem todo mundo acredita na recuperação em V – jargão econômico que se refere a uma queda brusca seguida de uma rápida e intensa recuperação –, apregoada também pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. “Esse comportamento do setor de serviços nos deixa cautelosos com possíveis revisões das projeções. Nós prevemos queda de 7,3% neste ano e alta de 3,4% no ano que vem”, diz a economista-chefe da Tendências Consultoria, Alessandra Ribeiro.

Outro motivo para a cautela, segundo ela, tem que ver com a própria evolução da pandemia no Brasil. “As mortes sem sustentam na casa de mil por dia, e isso nos mantêm cautelosos, no sentido de que esse quadro está aí, algumas localidades que flexibilizaram estão voltando atrás, e isso limita o ritmo de reação da economia.”

Para o economista-chefe do Banco Fator, José Francisco Gonçalves de Lima, o crescimento previsto no ano que vem, que é de 2,9% nas projeções da instituição, está muito relacionado ao efeito da queda forte neste ano. “Podemos crescer 3% no ano que vem, mas com isso retornamos ao ritmo em que estávamos na virada do ano [de 2019 para 2020], que é muito fraco. O nível da economia continua muito abaixo do que já foi.”

Mercado de trabalho deve piorar em 2021

A recuperação não vai ser em V exatamente por causa do mercado de trabalho, segundo o economista do Fator. “V é cair 6% e subir 6%”, exemplifica Lima. Isso teria relação com a profundidade e a duração das dificuldades das empresas.

“Em maio de 2018, na greve dos caminhoneiros, a economia despencou, mas, acabada a obstrução, a maior parte dos indicadores voltou ao normal. Ali sim foi um V”, diz Gonçalves. “Mas a empresa que demitiu em março e abril não vai contratar em agosto. Parte delas nem existe mais, basta olhar os números de falências e recuperação judicial.”

A expectativa da FGV é que a taxa de desocupação fique entre 15% e 16% no próximo ano – no trimestre encerrado em maio ela ficou em 12,9%. Isso porque pessoas que hoje não estão procurando emprego, seja pelas medidas de isolamento, seja porque contam com o auxílio emergencial do governo, voltariam à busca no próximo ano, engrossando a fila dos desocupados. No trimestre encerrado em maio, apenas 49,5% das pessoas com idade de trabalhar estavam ocupadas, a menor taxa já registrada na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), cuja série começa em 2012.

Investimentos têm obstáculos

Deve ser mais uma vez o consumo, e não o investimento, que puxará a recuperação, na avaliação dos economistas, como já vinha ocorrendo nos últimos três anos de “pibinho”, embora com diversas restrições, dada a situação do mercado de trabalho.

Sem investimentos do governo federal, que se comprometeu com um agenda de ajuste fiscal nesta gestão, parte do mercado esperava, ainda antes da pandemia, que a iniciativa privada ocupasse esse espaço de investimentos, o que não aconteceu. Agora deve ficar mais difícil.

Um dos motivos é o alto endividamento das empresas. Um estudo do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi) mostrou que, das 226 companhias não-financeiras com ações negociadas na bolsa de valores paulista, a relação entre capital próprio e endividamento era de quase 77% ao final de 2019. Isso significa que, para cada R$ 1 em dinheiro dos sócios, as empresas têm R$ 0,77 em financiamentos.

“É um crescimento de endividamento sobre uma trajetória em que ainda não se havia resolvido o aumento da dívida das empresas da crise de 2015 e 2016. Estamos acumulando crises”, diz o economista do Iedi Rafael Cagnin. Se as grandes empresas estão nessa situação, diz, o contexto das pequenas e médias é pior.

Além disso, há muita capacidade ociosa, o que significa que antes de investir em expanção da produção, comprar maquinário e contratar mais, as empresas precisam ainda voltar a utilizar os meios de produção que estão parados.

O nível de utilização da capacidade instalada da indústria caiu para 57,3 pontos em abril, segundo o Instituto Brasileiro de Economia (Ibre), da FGV, o pior índice desde 2001, quando começou a série. Contudo, é importante ressaltar que a indústria não foi toda afetada da mesma forma. Enquanto vestuário, veículos automotores e calçados sofreram forte impacto, segmentos como o farmacêutico e o de alimentos praticamente não registraram queda.

O ambiente de instabilidade político-institucional é outro fator que atrapalha a atração de investimentos privados, já que gera incerteza, até mesmo regulatória. “Nossos modelos apontam que não é só juro baixo ([ necessário para atrair investimentos], a incerteza política contribui muito, é a variável-chave para investimento”, diz a coordenadora do Boletim Macro do Ibre, Silvia Matos.

Dívida pública deve chegar a 93% do PIB

O orçamento federal de 2021 prevê R$ 31 bilhões a mais que neste ano, o menor acréscimo desde que passou a valer a regra do teto de gastos, estabelecida para conter a explosão da dívida pública em relação ao PIB. Neste ano, essa relação deve alcançar 93%, ante 76% no ano passado.

Nos cálculos da economista Silvia Matos, o governo desembolsou cerca de R$ 600 bilhões em medidas de amortecimento dos impactos econômicos da pandemia, ou 8,5% do PIB. Com isso, o déficit primário saltará de 2% do PIB, no ano passado, para 12%. Na média da América Latina, sairá de 0% para 7,5%.

“Essa saída da recessão vai demandar esforço de reavaliação do gasto muito maior, porque o teto está aí, vamos ter pouco espaço, e com uma demanda social muito grande, com taxa de emprego elevada e renda menor. Tenho muita preocupação porque não necessariamente o resultado disso vai ser bom para a sociedade”, avalia Matos.

Diante da necessidade de socorrer empresas e a população mais vulnerável, até mesmo para sustentar o consumo, parte dos economistas passou a contrariar a defesa do governo de que é necessário voltar ao ajuste fiscal mais duro já no ano que vem – embora esteja longe de haver unanimidade.

O economista do IEDI defende que o governo sinalize a volta das reformas estruturais, como a tributária, para a melhora do ambiente de negócios, e um “realismo em metas e objetivos”.

“Organismos como FMI, Banco Mundial e OCDE, mesmo nos cenários mais otimistas, pressupõem a continuidade de muitas das medidas emergenciais que foram adotadas durante a pandemia. Elas podem ser recalibradas, mas não dá para tirar de uma hora para outra”, afirma. “A relação dívida-PIB tem um numerador, que é a dívida, e um denominador, que é o PIB; se o PIB se recupera, a relação melhora.”

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. 

43 COMENTÁRIOS

  1. Hey there! I understand this is sort of off-topic however I needed to ask.

    Does operating a well-established blog such as yours require a large amount of work?
    I am completely new to writing a blog but I do write in my diary everyday.
    I’d like to start a blog so I can share my own experience and thoughts
    online. Please let me know if you have any recommendations or tips for new aspiring blog owners.
    Thankyou!

  2. I would like to take the ability of thanking you for that professional
    direction I have enjoyed browsing your site. I am looking forward to the
    commencement of my school research and the general planning would never have been complete without coming to your web site.
    If I could be of any help to others, I’d personally be delighted to help by means of
    what I have learned from here.

    Review my web site voltes.net

  3. Hey there I am so happy I found your blog, I really found you by
    accident, while I was searching on Aol for something
    else, Anyways I am here now and would just like to say thanks a lot for a remarkable post and a all round
    exciting blog (I also love the theme/design),
    I don?t have time to read it all at the minute but
    I have saved it and also added in your RSS feeds, so when I have time I will be back to read
    a great deal more, Please do keep up the great work.

    my blog post http://mys33.s33.xrea.com/

  4. I truly wanted to compose a message so as to thank you for all of
    the great tips and tricks you are giving out on this site.
    My rather long internet investigation has finally been paid with excellent
    insight to share with my guests. I ‘d admit
    that we visitors actually are very much lucky to be in a notable
    website with so many brilliant individuals with beneficial solutions.
    I feel truly lucky to have come across your web page
    and look forward to so many more fun times reading
    here. Thanks a lot again for all the details.

    Feel free to visit my homepage; http://kappa.her.jp

  5. Howdy, i read your blog occasionally and i own a similar one and i was just curious if
    you get a lot of spam remarks? If so how do you
    protect against it, any plugin or anything you can suggest?
    I get so much lately it’s driving me insane so any assistance is very much
    appreciated.

    My blog post; thisglobe.com

  6. I wanted to thank you a lot more for the amazing website you have made here.
    It’s full of useful tips for those who are really interested in that subject, particularly this very
    post. You’re really all so sweet in addition to thoughtful of
    others plus reading the blog posts is a good delight in my opinion. And
    exactly what a generous treat! Dan and I will certainly
    have excitement making use of your guidelines in what we have to do next week.
    Our record is a mile long so your tips will certainly be put to fine use.

    Feel free to visit my website; http://returngain.com/forum/index.php?action=profile;u=12836

  7. Its like you learn my thoughts! You seem to grasp so much
    approximately this, like you wrote the e book in it or something.
    I feel that you can do with some % to power the message home a little bit,
    however other than that, this is wonderful blog. An excellent read.

    I will definitely be back.

    Take a look at my web page – feelwind.jp

  8. Have you ever considered publishing an ebook or guest authoring on other sites?
    I have a blog based on the same subjects you discuss and would love to have you
    share some stories/information. I know my subscribers would appreciate
    your work. If you’re even remotely interested, feel free to shoot me an e-mail.

  9. I’ve been exploring for a little bit for any high-quality articles or blog
    posts on this sort of house . Exploring in Yahoo I finally stumbled upon this website.
    Studying this info So i’m happy to convey that I’ve an incredibly excellent uncanny feeling
    I discovered exactly what I needed. I such a lot undoubtedly will make certain to
    do not fail to remember this web site and give it
    a glance on a continuing basis.

    Also visit my web site: blogs.netoo.com

  10. Wonderful blog! Do you have any hints for aspiring
    writers? I’m planning to start my own website soon but I’m a little lost on everything.

    Would you propose starting with a free platform like WordPress or go for
    a paid option? There are so many options out there that
    I’m completely confused .. Any tips? Kudos!

    Feel free to surf to my web blog; candklaw.com

  11. I cherished as much as you’ll receive performed right here.
    The cartoon is tasteful, your authored subject matter stylish.
    however, you command get got an edginess over that you want be handing over the following.
    sick unquestionably come more until now once more since
    precisely the similar just about a lot steadily inside case you
    protect this increase.

    My webpage – http://londonlastminute.com/__media__/js/netsoltrademark.php?d=www.pdelite.org%2Fforum%2Findex.php%3Faction%3Dprofile%3Bu%3D145302

  12. I must get across my appreciation for your kind-heartedness giving support to men and women who really want
    help with this particular question. Your special dedication to passing the solution all-around had become certainly beneficial and has without exception permitted people like me to arrive at their goals.

    The warm and helpful guidelines implies so much
    a person like me and far more to my office colleagues. Regards;
    from each one of us.

    Feel free to surf to my site; http://www.brushcreekpartners.com

  13. Hey this is kind of of off topic but I was wanting to know if blogs use WYSIWYG editors or if you have to manually
    code with HTML. I’m starting a blog soon but have
    no coding knowledge so I wanted to get guidance from someone with experience.
    Any help would be greatly appreciated!

    My web blog – rukavinablog.com

  14. An outstanding share! I have just forwarded this onto a coworker who has been conducting a little homework on this.
    And he in fact ordered me dinner because I found it for him…
    lol. So allow me to reword this…. Thanks
    for the meal!! But yeah, thanx for spending time to talk about
    this issue here on your website.

    Also visit my web-site – frankjhanna.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui