Dançarinos do IFA levam arte aos orfanatos e asilos com projeto contemplado pela Lei Aldir Blanc

Foto: Divulgação

Respeitando os protocolos de distanciamento social, por conta da pandemia da Covid-19, dançarinos da Cia de Dança Robson Correia, que integram o Núcleo de Programação Artística Ovacionada (PAÓ), do Instituto de Formação em Arte (IFÁ), a partir desta quinta-feira (11), visitam orfanatos em Salvador e Região Metropolitana para apresentar o projeto Mata Borrão, com a performance Folia de Erê em companhia com os saltimbancos nas brincadeiras infantis.

Na programação do projeto está previsto intervenções artísticas, que utilizarão como trilha sonora as canções e marchinhas de carnaval. A proposta tem por objetivo de promover uma tarde de alegria, acolhimento e ludicidade, para que crianças e idosos, mesmo isolados, tenham um momento de lazer e descontração, em contato com a cultura popular.

O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e do Centro de Culturas Populares e Indenitárias (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

IFÁ

O projeto Folia de Erê em companhia com os saltimbancos nas brincadeiras infantis, emprega 25 profissionais e conta com o apoio do Instituto de Formação em Artes (IFÁ) que é um espaço de formação artística na qualificação inicial e contínua, tem como diretriz a cultura afrodiaspórica e valoriza o ser Negro; sendo “quebra de fronteiras”.

O Projeto Mata Borrão “Folia de Erê” visitará na quinta-feira, 11, a Organização de Auxílio Fraterno, no domingo, 14, será a vez do Lar Vida, ambas as instituições em Salvador e na quinta-feira, 18, visita a Associação Casa de Caridade Adolfo Bezerra Menezes (Accabem) em Lauro de Freitas.