Dengue, zika e chikungunya: especialista alerta para doenças tropicais em plena pandemia

Foto: Reprodução

A pandemia do novo coronavírus impõe aos brasileiros desafios inéditos, que vão além das medidas de restrição e isolamento social, e atinge a saúde no país com o aumento exponencial do número de casos e de mortes causadas pelo vírus. Além da preocupação com a Covid-19, a população deve ficar atenta às arboviroses, doenças causadas pelo arbovírus, como dengue, zika e chikungunya.

A Bahia também enfrenta cada vez mais casos de doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. O estado teve um aumento de 320,9% no número de casos prováveis de chikungunya em 2020 em comparação com o mesmo período de 2019. Ao todo, 295 municípios baianos registraram notificação sobre a doença. O número de casos de zika teve aumento de 48% e não registrou mortes em 2020. Já a dengue registrou alta de 32,7% e cinco mortes na Bahia.

Já na capital, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, até setembro de 2020 foram registrados 9.572 casos em Salvador, enquanto que no mesmo período de 2019 foram 2.788. Um aumento de 243%.

A permanência do confinamento em casa, exatamente no momento em que a pandemia coincide com o verão, é de fundamental importância se dedicar a impedir a proliferação do mosquito Aedes aegypti, responsável pela transmissão de doenças como dengue, zika vírus e chikungunya, alerta Angelina Oliveira, especialista em Saúde Pública e diretora da Padrão Enfermagem Salvador.

A especialista destaca que os ambientes domésticos são mais propícios para a proliferação do mosquito. “Basta um recipiente com um pouco de água para que o Aedes aegypti deposite seus ovos”, alerta.

Angelina Oliveira ressalta ainda que ações simples podem ajudar a combater o mosquito. “É indispensável não deixar acumular água parada em lugares que costumam ser esquecidos nas nossas próprias casas, como em garrafas, que devem ser guardadas sempre de cabeça para baixo, pratos dos vasos de plantas e pneus velhos, latas e outros recipientes”, pontua a especialista.

Outra preocupação é a semelhança dos sintomas entre a Covid-19 e as doenças provocadas pelo Aedes aegypti. Angelina Oliveira diz que a principal diferença são os sintomas respiratórios, já que febre e dores de cabeça e no corpo são indicativos dessas doenças.

Ainda sem a imunização em massa contra a Covid-19, o tratamento tanto para as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti quanto para a infecção causada pelo coronavírus serve apenas para aliviar os sintomas, pois o processo de cura depende do organismo de cada paciente. No entanto, a especialista recomenda que antes de se medicar, um médico deverá ser consultado, já que pode haver necessidade de assistência médica, com internações nos casos mais graves.

 

Sobre a Padrão Enfermagem Salvador

A Padrão Enfermagem Salvador oferece serviços que vão de procedimentos pontuais, como administração de medicamentos, monitoramento de sinais vitais e testes de glicose; passando pelo acompanhamento integral com cuidadores de crianças e idosos que, além de tratar da saúde dos pacientes, auxiliam com tarefas de higiene e fazem companhia no dia a dia; até um trabalho efetivo de enfermagem e acompanhamento hospitalar para quadros de maior complexidade.

Há mais de dez anos no mercado, a Padrão Enfermagem é a maior rede de franquias do Brasil em seu segmento, oferecendo o melhor custo-benefício do mercado e com suporte de atendimento 24 horas por dia, por meio de central de atendimento. Em Salvador, a Padrão Enfermagem fica localizada na Rua Itatuba, nº 201, Ed. Cosmopolitan Mix, salas 309/310 – Parque Bela Vista. Maiores informações podem ser obtidas por meio do telefone (71) 99636-7676.