Dia da Biodiversidade: conheça iniciativas da Aviva na Costa do Sauípe e em Rio Quente

Foto: Divulgação

Data reforça importância da diversidade biológica e preservação da biodiversidade nos ecossistemas

No próximo sábado, 22 de maio, é celebrado o Dia Internacional da Biodiversidade. A data, criada pela ONU em 22 de maio de 1992, tem o objetivo de conscientizar a população mundial sobre a importância da diversidade biológica e preservação da biodiversidade em todos os ecossistemas. A Aviva, detentora da Costa do Sauípe (BA) e Rio Quente (GO), que são cercados por muita natureza, promove diversas iniciativas em cada um dos destinos em prol da conservação da biodiversidade local.

Confira abaixo um pouco mais sobre cada uma delas.

Costa do Sauípe

Em Costa do Sauípe, desde 2000, há uma base do Projeto Tamar. Em todo esse período de parceria, aproximadamente 9 mil desovas foram protegidas e mais de 500 mil filhotes das espécies Cabeçuda (Caretta caretta), Oliva (Lepidochelys olivacea), de Pente (Eretmochelys imbricata) e Verde (Cheloniamydas) foram devolvidos ao mar.

Vale destacar que na praia da Costa do Sauípe, os filhotes das tartarugas marinhas fazem a caminhada da areia ao mar durante a soltura, que pode ser acompanhada de perto pelos turistas, seguindo as regras do projeto. “Quando fizemos a aquisição do complexo, renovamos o nosso compromisso com o Projeto Tamar para preservarmos no destino a desova das tartarugas marinhas. Inclusive, existe a proibição de luzes na orla da praia, pois elas interferem nos hábitos noturnos, de desova e também de nascimento”, conta Flávio Monteiro, Diretor de Operação da Aviva.

O projeto Tamar possui na base de Costa do Sauípe seis tartarugueiros e pesquisadores identificam desovas, instalam estacas de marcação de ninhos e telas para tentar reduzir a predação de ovos por raposas, tatus, entre outros animais. Realiza também um trabalho permanente de sensibilização dos visitantes e moradores para a importância da permanência das estacas de marcação dos ninhos nas praias, além de atividades que estimulam o descarte e reaproveitamento adequados de materiais, para que o público reflita sobre a responsabilidade de cada um na conservação da natureza.

Além disso, a Vila Nova da Praia tem uma loja para venda de produtos do Tamar para geração de renda ao projeto. E para os interessados em conhecer ainda mais o trabalho feito por eles, há opções de passeios até a base localizada na Praia do Forte.

Rio Quente

Já em Rio Quente, desde 2009, a Aviva investe na recuperação das suas áreas que fazem divisa com o Parque Estadual da Serra de Caldas Novas. O foco deste trabalho é restaurar regiões que já foram devastadas pelo agronegócio e que não têm condições de abrigar biodiversidade. Nesse período, já foram reflorestados 9,63 hectares de áreas de preservação permanentes e plantadas mais de 13 mil árvores nativas do cerrado, como ipê, jacarandá mimoso, pequi, aroeira, entre outras.

Também está em desenvolvimento um corredor ecológico que ligará o Parque Estadual da Serra de Caldas Novas (PESCaN) com as áreas preservadas do complexo de Rio Quente.  “Hoje, já observamos 88,9% das espécies de animais que vivem no PESCaN em nossas áreas de preservação. Nossa meta é observar 95% dessa fauna”, diz Neide Tavares, Gerente de Meio Ambiente na Aviva.

Em Rio Quente, ainda há o Birdland, um viveiro com área de 2.000 m² projetado para que os animais se sintam em seu habitat. As aves e outros animais como veados, jabutis, cobras e macacos foram enviados pelo IBAMA para se recuperarem de maus tratos ou tráfico. Durante o período em que permanecem no viveiro, os animais são cuidados e alimentados. Além disso, são acompanhados regularmente por biólogos, possuindo toda estrutura adequada, para que convivam em harmonia com outros animais de diferentes espécies. O Birdland foi berço de reprodução de macacos e veados, o que reforça a existência de um recinto adequado para a convivência destes animais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui