Em pronunciamento, Pazuello diz que vacinação contra a COVID-19 no Brasil começa em janeiro

© Folhapress / Cláudio Reis/FramePhoto

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou nesta quarta-feira (6) que a vacinação contra a COVID-19 no Brasil começará em janeiro e que o país exportará vacina para países da América Latina.

Durante pronunciamento feito nesta noite (6) em rede nacional de televisão, o ministro falou também sobre a polêmica envolvendo a importação de agulhas e seringas.

De acordo com informações da Folha de São Paulo, Eduardo Pazuello disse que o governo dispõe de quantidade suficiente deste insumos para iniciar a vacinação.

“Temos, também, a garantia da Organização Pan-Americana de Saúde de que receberemos mais oito milhões de seringas e agulhas em fevereiro, além de outras 30 milhões já requisitadas à Abimo, a Associação dos Produtores de Seringas”, disse o ministro.

“O Brasil já tem disponíveis cerca de 60 milhões de seringas e agulhas nos estados e municípios, número suficiente para iniciar a vacinação ainda neste mês de janeiro”, afirmou.

​Segundo Pazuello, “todos os estados e municípios receberão a vacina de forma simultânea, igualitária e proporcional à população. No que depender do Ministério da Saúde e do presidente da República, a vacina será gratuita e não obrigatória”.

Embora ainda não esteja entre os quase 50 países que já iniciaram a vacinação, Pazuello afirmou que o Brasil exportará vacinas para a América Latina. “O Brasil é o único país da América Latina que tem três laboratórios produzindo vacinas. Seremos exportadores de vacina para nossa região muito em breve”, declarou.

“Temos hoje 354 milhões de doses de vacinas asseguradas, para 2021, sendo 254 milhões de doses pela Fiocruz em parceria com a Astrazeneca, além de 100 milhões de doses pelo Butantan em parceria com a Sinovac. Estamos em processo de negociação com os laboratórios Gamaleya, da Rússia; Janssen, Pfizer e Moderna, dos Estados Unidos; e Barat Biotech, da Índia”, concluiu.

Datas de imunização distintas

Em seu pronunciamento, o ministro Eduardo Pazuello fez uma nova promessa sobre a vacinação no Brasil: um suposto início no mês de janeiro. Em dezembro, em uma reunião com governadores, ele disse que as primeiras 8,5 milhões de doses da vacina da farmacêutica norte-americana Pfizer, de um lote de 70 milhões, devem chegar ao país no primeiro semestre. Na ocasião ele falou em começar a vacinação no Brasil em fevereiro.

Porém, em esboço de plano nacional de imunização, divulgado uma semana antes do encontro de dezembro, o Ministério da Saúde tinha a previsão de começar a vacinar a população apenas em março.

Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, e ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, durante cerimônia no Palácio do Planalto, Brasília, 8 de dezembro de 2020
© REUTERS / UESLEI MARCELINO Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, e ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, durante cerimônia no Palácio do Planalto, Brasília, 8 de dezembro de 2020

Fonte: Sputnik Brasil