Por Redação – Foto Letícia Martins/EC Bahia

A festa pelo o acesso do Bahia à Primeira Divisão do Futebol Feminino terminou em tumulto no gramado do estádio de Pituaçu, em Salvador. Durante o evento, Suelen, uma das jogadoras do Tricolor, afirmou ter sido alvo de uma ofensa racial proferida pelo técnico do JC, Hugo Duarte.

A Polícia Militar foi chamada e levou Hugo Duarte para a Central de Flagrantes da 1ª Delegacia para registrar um boletim de ocorrência.

Foto: Reprodução/BNews

Em comunicado, o Bahia expressou “total solidariedade a Suelen e exigiu uma resposta à altura da gravidade do incidente, reafirmando seu compromisso na luta contra toda forma de discriminação”.

Confira a nota divulgada pelo Bahia:

O que deveria ser uma noite apenas de comemoração pelo acesso das Mulheres de Aço à elite do futebol brasileiro acabou manchada por episódio lamentável no estádio de Pituaçu.

Ao final da partida, a zagueira tricolor Suelen foi alvo de ofensa racial praticada pelo treinador da equipe adversária no gramado.

Acionada, a Polícia Militar conduziu o acusado à Central de Flagrantes da 1ª Delegacia para realização de boletim de ocorrência.

O Diretor de Operações e Relações Institucionais, Vitor Ferraz, acompanha a atleta juntamente com advogado criminalista que assessora o clube, além de outras jogadoras e funcionários que se apresentaram como testemunha.

O Esporte Clube Bahia SAF manifesta toda solidariedade a Suelen ao tempo em que cobra resposta à altura da gravidade do assunto, reiterando compromisso na luta contra qualquer tipo de discriminação.