‘EUA esperam trabalhar com Rússia’: Biden muito ‘animado’ com apelo de Putin na Cúpula do Clima

© REUTERS / Tom Brenner

Na quinta-feira (22) teve início a Cúpula do Clima, evento convocado pelo presidente dos EUA, que convidou 40 líderes para discutir ações para diminuir as emissões de dióxido de carbono.

O presidente dos EUA, Joe Biden, afirmou nesta sexta-feira (23) que está ansioso para trabalhar com a Rússia na diminuição das emissões de dióxido de carbono. Biden afirmou também que ficou muito animado com o pronunciamento do presidente russo, Vladimir Putin, na quinta-feira (22), durante a Cúpula do Clima.

“Estou muito animado com o apelo do presidente Putin ontem para que o mundo colabore, avance na dedução do dióxido de carbono e os EUA esperam trabalhar com a Rússia e outros países nesse esforço como uma grande promessa”, disse o democrata durante pronunciamento.

Combate às mudanças climáticas

Na quinta-feira (22) teve início a Cúpula do Clima, evento convocado pelo presidente dos EUA para o qual convidou 40 chefes de estado e de governo e que termina nesta sexta-feira (23).

Presidente da Rússia, Vladimir Putin discursando na Cúpula do Clima em formato virtual, 22 de abril de 2021
© SPUTNIK / ALEKSEI DRUZHININ Presidente da Rússia, Vladimir Putin discursando na Cúpula do Clima em formato virtual, 22 de abril de 2021

Ao discursar no evento, Putin convidou os países a investir em “pesquisas científicas conjuntas”, em “projetos climáticos significativos” e “ao desenvolvimento de tecnologias de baixo carbono para mitigação das consequências e adaptação às mudanças climáticas”.

Putin lembrou que, em comparação a 1990, a Rússia reduziu muito mais as emissões de gases de efeito estufa do que muitos outros países.

Em um dos pronunciamentos mais aguardados do dia, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, solicitou doações da comunidade internacional para ajudar o país. Segundo Bolsonaro, o Brasil merece uma “justa remuneração pelos serviços ambientais prestados”, falando em zerar o desmatamento ilegal até 2030 e em alcançar a neutralidade na emissão de gases até 2050.

Por sua vez, o presidente chinês, Xi Jinping, anunciou que Pequim vai começar a reduzir seu consumo de carvão no período entre 2026 e 2030 como parte de seus esforços para reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

Fonte: Sputnik Brasil