Executivos dos EUA pedem que Brasil ratifique metas ambientais e políticas para gerar investimentos

© AP Photo / Eraldo Peres

Empresários estadunidenses pedem ao governo brasileiro que agilize a meta do país de se tornar neutro em carbono a partir de 2050, e que ratifique, em definitivo, novos protocolos comerciais entre os dois países.

De acordo com a Folha de São Paulo, investidores norte-americanos se encontraram com o ministro da Economia, Paulo Guedes, na capital Washington em um hotel próximo à Casa Branca.

Os executivos pertenciam a diferentes empresas como Apple, Citigroup, Embraer, Fedex, entre outras, e pediram ao ministro que o Brasil ratifique a meta de se tornar neutro em carbono a partir de 2050, e que o Congresso aprove o Protocolo sobre Regras Comerciais e Transparência, assinado em outubro de 2020, mas que depende do aval do Legislativo para entrar em vigor.

“Isso é uma grande prioridade, por ser simbólico do compromisso do Brasil com suas próprias ambições climáticas e sustentáveis, e vai trazer confiança para o investidor norte-americano”, afirmou Cassia Carvalho, diretora executiva do Brazil-US Business Council citada pela mídia.

Em abril deste ano, o presidente, Jair Bolsonaro, antecipou a meta de neutralidade de carbono, que consiste em cessar ou compensar todas as suas emissões de poluentes, de 2060 para 2050. No entanto, o país ainda não formalizou a mudança.

Em resposta aos executivos, representantes do governo brasileiro disseram que o Brasil está trabalhando para avançar nas metas ambientais, e tomando medidas para melhorar o ambiente de negócios para investimentos que consideram critérios ESG, sigla que abarca políticas de boas práticas ambientais, sociais e de governança.

Em relação ao Protocolo sobre Regras Comerciais e Transparência, a medida prevê mudanças em três áreas: facilitação de comércio e administração aduaneira, boas práticas regulatórias e anticorrupção.

Funcionários da Embraer trabalham em um jato comercial Embraer 190 na fábrica da empresa em São José dos Campos, Brasil (foto de arquivo)
© AP PHOTO / VICTOR R. CAIVANO Funcionários da Embraer trabalham em um jato comercial Embraer 190 na fábrica da empresa em São José dos Campos, Brasil (foto de arquivo)

Apesar da crise econômica que recai sobre o Brasil, o comércio exterior entre EUA e o país está em uma alta histórica, segundo a Folha. Entre janeiro e setembro, foram movimentados US$ 49,6 bilhões (R$ 276,32 bilhões), maior volume já registrado no período desde 1997.

No que diz respeito ao comércio, as exportações brasileiras para os EUA somaram US$ 22,3 bilhões (R$ 124,23 bilhões) no mesmo período, o que representa 47,1% a mais que na mesma época do ano passado.

Já as importações brasileiras vindas dos EUA alcançaram valor inédito de US$ 27,3 bilhões (R$ 152,09 bilhões), 29,8% em relação a 2020.

Fonte: Sputnik Brasil