Governador encerra missão internacional com atração de investimento chinês para a Bahia

Foto: Daniel Sena/GOVBA

Depois de passar por Alemanha, Cazaquistão e República Tcheca, o governador Rui Costa encerrou sua missão internacional nesta quinta-feira (28), em uma reunião com a Sinoma, empresa chinesa líder mundial nos segmentos de material de construção e vidros e uma das maiores fabricantes de equipamentos para produção de energia eólica do mundo. No encontro, foram discutidos detalhes para a implantação na Bahia de uma fábrica de pás para turbinas eólicas. As pás são responsáveis pela geração de energia elétrica limpa a partir da rotação provocada pelo vento.

A proposta é que seja implantada uma unidade com 35 mil metros quadrados e quatro linhas de produção de pás, em Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador, para atender à demanda nacional e internacional. A previsão é que inicialmente sejam gerados 500 empregos, número que pode chegar a 1.200 com a ampliação que será realizada três anos após o início do funcionamento.

Do escritório da Sinoma em Dubai, o governador participou de uma videoconferência com executivos da empresa na sede chinesa e no escritório do Brasil, em São Paulo. Ele disponibilizou todo o apoio necessário a implementação do projeto, como informações sobre a legislação tributária e fiscal do Brasil. “Temos todo o interesse em ter essa fábrica na Bahia, faltam alguns detalhes para que se concretize e o Estado dará todo o apoio para que aconteça o mais rápido possível. Se tudo der certo, acreditamos que em 2022 eles comecem a implantação”, afirmou o governador.

A fábrica em Camaçari será o primeiro empreendimento desse tipo que a empresa implantará fora da China. Além de ter um grande número de parques eólicos em implantação, a Bahia possui todas as condições para a instalação da unidade, como terreno e estrutura logística de estradas e porto.

Este foi mais um investimento que o governador conseguiu atrair para o estado em sua viagem internacional. Além da chinesa Sinoma, foram iniciadas parcerias com vistas a implantação de unidades na Bahia de uma fábrica de camas hospitalares, a Linet, uma fábrica de vacinas veterinárias, a Bioveta e uma fábrica de chassis de caminhões, a Tatra Trucks, todas da República Tcheca. O governador também esteve com empresas que já investem na Bahia, como a alemã Siemens, que fabrica geradores eólicos e a ERG, do Cazaquistão, que está construindo o Porto Sul e a Fiol. Rui conseguiu firmar parcerias científicas com um instituto de tratamento de Câncer e a Universidade Técnica da Tchéquia, para troca de experiências e formação de profissionais de saúde. Após 12 dias de intensas agendas, o governador fez um balanço positivo da missão internacional que se encerra hoje.

“Foi um período de muito trabalho onde literalmente vendemos o potencial da Bahia para a recepção de novos investimentos. Mostramos que temos as melhores condições e os melhores trabalhadores do Brasil e estamos abertos a iniciativas produtivas que gerem emprego e renda e melhorem a qualidade de vida de nosso povo”, disse o governador.