Indústria de plástico em Feira de Santana desviou 3,4 milhões de KWH com ligação clandestina de energia

Foto: Divulgação

Furto de energia ocorria há cinco anos. Proprietário será ouvido na delegacia do município

Mais uma operação de combate ao furto de energia elétrica, realizada pela Polícia Civil, com o apoio da Coelba, desativou, na noite desta quinta-feira (17), uma ligação clandestina de energia em uma indústria de plásticos de Feira de Santana. Os policiais e os técnicos da distribuidora constataram o desvio de 3,4 milhões quilowatts-hora (kWh) de energia da rede da Coelba para abastecer irregularmente a indústria.

A energia recuperada é suficiente para atender 30 mil residências durante um mês ou o município de Amélia Rodrigues durante dois meses. O volume é praticamente igual ao recuperado, na última terça-feira (15), em uma operação conjunta da Coelba com as distribuidoras de mais três estados ( PE, RN e MS), na maior ação já realizada no País para combater fraudes e furto de energia.

 

Ligação clandestina 

O desvio vinha ocorrendo desde 2016. O proprietário do local será intimado para depor na delegacia de Feira de Santana e vai responder criminalmente. O furto de energia é crime previsto no artigo 155 do Código Penal Brasileiro e a pena para o responsável pela prática ilegal pode chegar a oito anos de reclusão.

Além de representar riscos de acidentes graves à população, a energia furtada é paga por outros consumidores, através do repasse na tarifa de energia, conforme determina a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL).

 

Como denunciar 

A Coelba reforça a importância da denúncia de fraudes e furtos de energia. O apoio da comunidade é essencial para identificar os desvios e acionar a distribuidora. As denúncias são feitas de forma anônima  através do telefone 116 ou pelo site www.coelba.com.br, na parte de Serviços, na aba Denúncia de Irregularidade.