Morales: Estados Unidos ‘sofreram derrota vergonhosa’ ante terrorismo e narcotráfico no Afeganistão

© REUTERS / Patricia Pinto

O ex-presidente boliviano Evo Morales (2006-2019), denunciou que os EUA fracassaram em sua guerra contra o terrorismo e o narcotráfico no Afeganistão.

Na sexta-feira (17), o ex-mandatário escreveu em sua conta no Twitter: “Durante 20 anos, governantes dos EUA mentiram a seu povo e ao mundo sobre a mal chamada ‘guerra contra o terrorismo e o tráfico de drogas’ no Afeganistão. Eles gastaram bilhões de dólares, massacraram centenas de inocentes e destruíram uma nação inteira”.

Na quinta-feira (16), o presidente dos EUA, Joe Biden, enviou um memorando a seu secretário de Estado, Antony Blinken, onde acusa a Bolívia e a Venezuela de terem falhado no cumprimento de acordos internacionais antidrogas, como a Lei de Assistência Exterior (FAA, na sigla em inglês). Ambos os países rejeitaram o relatório de Washington sobre a luta contra o narcotráfico.

Os militantes do movimento Talibã (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) retomaram o poder no Afeganistão após duas décadas de intervenção militar estrangeira que chegou ao fim no final de agosto.

Em 30 de agosto, após quase 20 anos de ocupação e mais de 2.400 soldados mortos, os Estados Unidos completaram sua retirada do país centro-asiático com o último avião militar saindo à meia-noite (15h40 no horário de Brasília) do aeroporto de Cabul.

No início de setembro, o Talibã anunciou a composição do governo provisório, no qual nenhuma mulher faz parte, e integrado principalmente por pashtuns e partidários linha-dura. Uma parte dos membros do gabinete, que deveria ser “inclusivo” segundo as promessas iniciais, figuram na lista do Comitê de Sanções 1988 do Conselho de Segurança da ONU.

Fonte: Sputnik Brasil