OQuadro lança álbum “Preto sem açúcar”

Foto: Divulgação

“Preto sem açúcar”. Assim é servido o terceiro álbum de estúdio de OQuadro, que chega às plataformas hoje (05) pela Isé com distribuição da Musequal. Ao todo são 15 faixas da mais autêntica cultura Hip hop, com sotaque, expressões e suingue genuinamente da Costa do Cacau, sul da Bahia. “Eu brindo minha gente com esta canção”, sintetiza o último verso da primeira faixa do disco. E “Preto sem açúcar é mesmo um brinde. Ao povo preto, à luta, à correria e à boa música. Sem muitos efeitos, sem precisar adoçar as dificuldades da vida.

“Falamos do homem natural, que não abre mão da sua história, da sua ancestralidade, para ser aceito. Os corpos que fogem de um padrão estético, que estão nas ruas e que tensionam a ocupação dos espaços”, afirma Ricô. A capa criada por Izolag e ORIXAFRICANO, já diz muito sobre o conceito do disco. Nela, o preto toma um café numa xícara de louça banhada a ouro, enquanto sua preta pinta seu cabelo. Olhares cobertos, mas sisudos.

Há algumas explicações para a escolha do nome do disco. “ ‘Preto sem açúcar’. Ele por ele mesmo. Raiz. Não mais se vendo instruído a ocidentalizar princípios. Totalmente fora dos moldes acadêmicos de postura e pensamentos”, define Rans Spectro. “Outro conceito é o plantador de cana de açúcar, que eventualmente fica preto por causa da fuligem – criada por conta da queimada para fermentação. O trabalhador que fica preto com aquilo e não tem o açúcar, os lucros. Que na real é escravizado”, acrescenta Victor.

Para Izolag o disco é liso, com total ligação com a criação dos seus integrantes. “E traz uma mensagem simples de entender: o preto sem açúcar já é gostoso. O açúcar é apenas um confeito. Somos musicais, artistas, pensadores e não precisamos deste doce para mastigar o que a gente faz, nem do endosso de ninguém”, conclui.