País vive “tragédia humanitária” e único tratamento precoce é o impeachment de Bolsonaro, diz Arthur Chioro

Arthur Chioro (Foto: Alessandro Dantas | Reuters)

O médico sanitarista e ex-ministro da Saúde, Arthur Chioro, defendeu nesta sexta-feira (29) que o Brasil vive uma crise humanitária com o avanço da pandemia do novo coronavírus.

Em entrevista à Revista Fórum, Chioro fez duras críticas às ações de enfrentamento da Covid-19 promovidas pelo governo
federal. “O governo Bolsonaro é irresponsável e criminoso. Há 11 meses nega a pandemia, sua gravidade e a eficácia das medidas não medicalizantes, efetivamente comprovadas, como o isolamento social, o uso de máscara e as medidas de higiene”, avalia Chioro.

O ex-ministro aponta a incompetência do governo na gestão da crise e a insistência em tratamentos ineficazes contra a Covid-19. “Deixaram faltar tudo: EPI para os trabalhadores, respiradores, medicamentos para intubação, leitos de UTI, testes para Covid, agulhas e seringas… Chegaram ao cúmulo de responder a uma grave crise de desabastecimento de oxigênio, devidamente comunicada ao Ministério da Saúde, com uma missão de médicos fanáticos e irresponsáveis que foram ‘ensinar’ os colegas de Manaus a prescrever medicamentos que comprovadamente não funcionam para Covid-19 e causam efeitos colaterais graves”, disse Chioro.

“Como resultado, pacientes morreram por falta de oxigênio. Isso é mais um crime comprovado. O único tratamento precoce que efetivamente pode ter resultado é o impeachment de Bolsonaro”, acrescentou o ex-ministro da Saúde.

 

Fonte: Brasil 247