Países que pressionam Brasil por desmatamento são responsáveis por 10% do agronegócio brasileiro

© Folhapress / Chico Ferreira

Oito países europeus assinaram uma carta enviada ao vice-presidente Hamilton Mourão na última terça-feira (15), afirmando que a “tendência crescente de desflorestamento no Brasil está tornando mais difícil” o investimento no país.

O documento endereçado ao vice-presidente Mourão, que lidera o Conselho da Amazônia, foi assinado pelos embaixadores da Alemanha, Dinamarca, França, Itália, Holanda, Noruega, Reino Unido e Bélgica.

Estes países foram responsáveis pela compra de mais de US$ 6,77 bilhões (R$ 35,7 bilhões) do agronegócio brasileiro neste ano. O valor representa 9,71% de tudo que foi vendido pelo setor a países estrangeiros.

O país que mais importou o agronegócio brasileiro entre janeiro e agosto foi a China, que foi responsável por 37,96% do total das exportações.

Bombeiros tentam apagar fogo no Pantanal.
© REUTERS / AMANDA PEROBELLI Bombeiros tentam apagar fogo no Pantanal.

No documento enviado ao vice-presidente, os países europeus afirmam que a “atual tendência crescente de desflorestamento no Brasil está tornando cada vez mais difícil para empresas e investidores atender a seus critérios ambientais, sociais e de governança”.

O vice-presidente, por sua vez, declarou que o Itamaraty deve procurar o embaixador da Alemanha para tratar do posicionamento dos oito países, além de informar que vai organizar uma viagem de embaixadores à Amazônia.

“A decisão é que o Itamaraty vai conversar com o embaixador alemão. Na carta, eles colocam os representantes deles à disposição para o diálogo, daí nós estamos planejando aquela viagem, que já falei para vocês, à Amazônia, que vai ser feita no final de outubro. Então, é isso que debatemos ali”, afirmou o vice-presidente.

De acordo com o Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia, o desmatamento da floresta aumentou 68% em agosto, em comparação com o mesmo período do ano passado. Além disso, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostrou que, mesmo estando ainda na metade do mês, o Pantanal teve o setembro com o maior número de focos de incêndio deste o início da série histórica.

 

Fonte: Sputnik Brasil